Eduardo Bolsonaro defende Carlos e diz que declaração 'não tem nada de mais'

ANGELA BOLDRINI
***ARQUIVO***JUIZ DE FORA, MG, 06.09.2019: O deputado Federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) chega para culto ecumênico em ação de graça pela vida do presidente Jair Bolsonaro no local onde o então candidato à presidência foi vítima de uma facada quando fazia um comício na cidade de Juiz de Fora, em MG. (Foto: Guilherme Leite/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) saiu em defesa de seu irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), e disse que sua declaração sobre a democracia não tem "nada de mais". 

"O que o Carlos Bolsonaro falou não tem nada demais, ele falou que as coisas na democracia demoram porque tem debate, só isso", afirmou o deputado, durante sessão da Casa nesta terça-feira (10). 

"A gente debate, a gente fala, por nós teria outra velocidade. Mas o tempo do Congresso não é o tempo da sociedade, ponto", afirmou Eduardo. 

Nesta segunda (9), o vereador afirmou nas redes sociais: "Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!" 

Eduardo atacou a oposição, que chamou de amantes de ditaduras. "São incapazes de repudiar a narcoditadura de Maduro, e vem querer posar aqui de diamantes da democracia", disse. 

A fala de Carlos, porém, não foi criticada apenas por parlamentares da oposição. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a declaração não cabe em um país democrático. 

Já o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que a fala merece desprezo.