Eduardo Bolsonaro deve apagar posts com informações falsas sobre Lula, determina TSE

Eduardo Bolsonaro fez publicação nas redes distorcendo declaração de Lula (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
Eduardo Bolsonaro fez publicação nas redes distorcendo declaração de Lula (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

O Tribunal Superior Eleitoral determinou que Eduardo Bolsonaro (PL-SP) deve apagar das redes sociais informações falsas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações são do portal g1.

A decisão foi tomada pela ministra Maria Claudia Bucchianeri no último domingo, após um pedido feito pela coligação Brasil da Esperança, que apoia Lula.

Na publicação, Eduardo Bolsonaro dizia que o petista iria proibir o trabalho de motoboys, entregadores e motoristas de aplicativos, como Uber e iFood, caso fosse eleito. Lula, no entanto, falou sobre outro tema: a falta de direitos trabalhistas para esses trabalhadores, sem falar em acabar com a modalidade de emprego.

A ministra Maria Claudia Bucchianeri afirmou na decisão que “não há a menor dúvida de que a desinformação e a desconstrução de figuras políticas a partir de fatos sabidamente inverídicos ou substancialmente manipulados devem ser rapidamente reprimidas pela Justiça Eleitoral”.

“Em verdade, jamais houve qualquer afirmação no sentido de 'encerramento' dessas funções ou de proibição do trabalho por aplicativo, mas, apenas, a intenção de revestir tais postos de trabalho de mais direitos e garantias”, argumentou.

De acordo com o TSE, as publicações de Eduardo Bolsonaro foram feitas com o objetivo de induzir o eleitor ao erro e desconstruir a imagem de Lula.

Veja as últimas pesquisas eleitorais