Eduardo Bolsonaro pode ser investigado sobre invasão do Capitólio nos EUA

Nesta foto de arquivo de 22 de outubro de 2019, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente do país, sorri durante a votação final da reforma da Previdência no Senado em Brasília, Brasil.  (Foto AP/Eraldo Peres, Arquivo)
Nesta foto de arquivo de 22 de outubro de 2019, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente do país, sorri durante a votação final da reforma da Previdência no Senado em Brasília, Brasil. (Foto AP/Eraldo Peres, Arquivo)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho 03 do presidente brasileiro, pode ser incluído nas investigações da invasão do Capitólio, no dia 6 de janeiro de 2021. por apoiadores do então presidente Donald Trump.

Nesta sexta-feira (29), representantes de entidades da sociedade civil brasileira se reuniram com o deputado americano Jamie Raskin, que faz parte do Comitê Especial que investiga a invasão. Segundo alguns participantes, o congressista ficou surpreso ao saber que Eduardo Bolsonaro esteve na capital americana dias antes da invasão do Congresso e se reuniu com pessoas próximas a Trump.

Raskin afirmou aos brasileiros que uma das linhas da investigação feita pelo Congresso sobre o 6 de Janeiro deve agregar as conexões internacionais da extrema direita americana. Desse modo, a participação do deputado brasileiro poderá ser incluída entre os tópicos a serem considerados em breve pela equipe de investigação.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, Raskin ficou satisfeito com a reunião com a comitiva brasileira. Ele teria dito “que forças pró-democracia e pró-direitos humanos no Brasil estão com medo de que algo parecido com o que ocorreu nos EUA em 6 de Janeiro [de 2021] possa acontecer em seu país”.

Questionado por repórteres sobre a possibilidade de citar o Brasil no relatório final da comissão, disse não saber ao certo de que maneira o documento vai tratar desses casos específicos.

Em fevereiro de 2021, os sites americanos Media Matters e Proof indicaram que o deputado brasileiro se reuniu com o empresário Michael Lindell e outros apoiadores de Trump envolvidos no planejamento do ataque ao Congresso.

Na ocasião, Eduardo disse que não participou de reuniões secretas sobre a invasão. Ele esteve em Washington naquela semana e esteve com Ivanka Trump, filha do republicano, e Jared Kushner, marido de Ivanka e assessor do então presidente, no dia 4 de janeiro.

Invasão

A invasão do Capitólio ocorreu no dia 6 de janeiro quando um grupo tentou impedir a certificação da vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de 2020, último momento em que ficaria atestada a derrota do republicano. Trump acusa, desde o pleito, que a votação foi fraudada, mas suas argumentações nunca foram provadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos