Eduardo Giannetti é eleito imortal da Academia Brasileira de Letras

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.04.2018 - O economista Eduardo Giannetti durante almoço em comemoração aos 25 anos do Afroreggae, em São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.04.2018 - O economista Eduardo Giannetti durante almoço em comemoração aos 25 anos do Afroreggae, em São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O economista Eduardo Giannetti da Fonseca foi eleito para a cadeira número 2 da Academia Brasileira de Letras, no lugar que antes era ocupado pelo professor de filosofia Tarcísio Padilha, morto em setembro.

Referência em temas como ética e filosofia, Giannetti é autor de dezenas de livros, alguns de referência como "Vícios Privados, Benefícios Públicos?" e "Auto-Engano" e outros mais recentes "Trópicos Utópicos", "O Elogio do Vira-Lata" e "O Anel de Giges".

O economista teve 18 dos 34 votos de uma eleição acirrada, que teve outros nove concorrentes: Sergio Bermudes, Gabriel Chalita, Samia Macedo, Antônio Helio da Silva, José Humberto da Silva Henriques, Eloi Guio D’Aracosia, Jeff Thomas, José William Vavruk, Joana Rodrigues e Alexandre Figueiredo.

Bermudes e Chalita, ambos advogados, se engajaram em campanhas abertas junto aos acadêmicos para preencher a vaga de Padilha, mas Giannetti acabou prevalecendo.

A eleição é a última desta leva de novos integrantes da Academia, que preencheu as cinco cadeiras que ficaram vagas durante os meses de pandemia, quando as tradicionais Sessões da Saudade —que permitem a recepção de candidaturas— não foram feitas por questões sanitárias.

Foram eleitos notáveis como a atriz Fernanda Montenegro, o músico Gilberto Gil, o médico Paulo Niemeyer Filho e o advogado José Paulo Cavalcanti, chamando atenção o fato de que nenhum deles era conhecido prioritariamente pela escrita de livros —uma tendência interrompida agora com o prolífico Giannetti.

A ABL agora tem todas as suas 40 cadeiras ocupadas, ainda que os cinco acadêmicos eleitos desde novembro ainda não tenham tomado posse. Isso deve acontecer no início do próximo ano, assim como a cerimônia formal para empossar o novo presidente da instituição, o jornalista Merval Pereira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos