Eduardo Paes pede apoio das Forças Armadas para acelerar vacinação no Rio

Luiz Ernesto Magalhães
·2 minuto de leitura

Enquanto a Covid-19 avança no Rio e deixa centenas de doentes na fila por um leito, a prefeitura tenta acelerar o ritmo de vacinação. Foi divulgado ontem um calendário com os dias de imunização para quem tem de 67 a 71 anos. O prefeito Eduardo Paes diz que pretende concluir a faixa dos acima de 60 anos até o fim de abril. Para isso, ele pediu apoio das Forças Armadas a fim de aumentar os postos de vacinação na capital.

— Estamos conversando com o ministro da Defesa para que as Forças Armadas ajudem na montagem de novos locais de vacinação. O Instituto Butantan está em ritmo total, e a Fiocruz também — disse Paes, durante o anúncio do último Boletim Epidemiológico de Covid-19 na cidade.

Segundo o prefeito, quando todos os idosos até 60 anos estiverem vacinados, a probabilidade é que os indicadores da pandemia comecem a melhorar, uma vez que a maioria das internações, cerca de 80%, é de pessoas justamente nesta faixa etária.

— Lá para o Dia de São Jorge (23 de abril), deveremos ter todos os idosos vacinados, e aí agente pode flexibilizar muito. Não caia na conversa de maluco de que a vacina faz mal. Meus pais foram vacinados e estão ótimos — contou o prefeito.

Hoje os postos abrem para vacinar quem tem 72 anos ou mais. A partir de segunda-feira, o esquema muda. Serão vacinadas pessoas com a mesma idade num único dia, mas mulheres vão pela manhã e homens, à tarde. A semana começa com aqueles de 71 anos.

Enquanto o estado não unifica os calendários de todas as cidades, cada município mantém uma escala diferente. Caxias, por exemplo, vacina hoje quem tem 67 anos. Em São Gonçalo, será a vez dos idosos de 73 anos.

Na última quinta-feira, o governador em exercício Cláudio Castro anunciou o calendário único, cujos os detalhes devem ser divulgados na segunda-feira. O objetivo é evitar que pessoas corram para outras cidades em busca de vacina.