Eduardo Paes responde críticas de Mario Frias a comprovante de vacinação: 'Aqui só vacinado!'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO - O prefeito do Rio, Eduardo Paes, respondeu às críticas do secretário de cultura, Mário Frias, que foi ao Twitter reclamar da exigência municipal de apresentação do comprovante de vacinação para entrada em shoppings, hotéis e áreas internas de bares e restaurantes como medida de controle da pandemia. Paes reafirmou nas redes que diversão "aqui (no Rio) só vacinado".

"Aqui só vacinado! Aí você pode se divertir muito. Se é que vão te aceitar em qq lugar... Em tempo: curte aí o samba da Vila homenageando o grande Martinho!", escreveu o prefeito, ao responder a mensagem que criticava o fato de o prefeito estar num samba.

"Enquanto enjaula o carioca ele se esbalda na farra".

Tudo começou porque Mario Frias criticou um hotel da cidade que teria impedido sua família de se hospedar, por falta de cumprimento de protocolos de saúde. Sem revelar o nome do lugar, o secretário Especial de Cultura disse que mulher e filha "foram expulsas" por não apresentarem passaporte de vacinação, documento que comprova que a pessoa está em dia com a imunização contra a Covid-19. A doença já matou mais de 617 mil pessoas no Brasil desde março de 2020, e a vacinação é considerada o principal fator de controle da pandemia.

Com palavrões, o secretário de Cultura xingou os funcionários que seguiram as normas impostas por decreto da prefeitura e disse que vai "processar todos os responsáveis por esse ato".

"Um merda inútil ter a coragem de impedir minha família de ter um teto para dormir às 21h da noite é criminoso. O mais revoltante é que, enquanto eles tratam o povo como escravo, estão por aí farreando e bebendo, como canalhas hipócritas que são! Irei processar todos os responsáveis por esse ato. Vocês não irão tomar minha liberdade e da minha família sem que eu lute por ela. Vagabundos!", disse ele em uma sequência de posts no Twitter. Procurado por meio de sua assessoria, o secretário não respondeu aos questionamentos do GLOBO.

Em decreto publicado no início de dezembro, a prefeitura do Rio ampliou a cobrança do passaporte vacinal. A lista de estabelecimentos em que é exigida a comprovação da imunização contra a Covid-19 aumentou e, a partir de agora, será preciso apresentar o certificado para acessar shoppings, ir a áreas internas ou com cobertura de restaurantes e bares, se hospedar em hotéis e utilizar serviços de transporte individual — como táxi e aplicativos.

No início de novembro, o Ministério Público Federal solicitou à Justiça a derrubada da portaria editada pelo secretário especial da Cultura que proíbe a exigência de passaporte sanitário em projetos financiados pela Lei Rouanet. De acordo com o MPF, a medida adotada por Mário Frias teve como objetivo "interferir nas medidas sanitárias e epidemiológicas" e representa um "desvio de finalidade", porque não cabe a um órgão subordinado ao Ministério do Turismo determinar ações de prevenção e controle da Covid-19.

No sábado, o ex-ator Thiago Gagliasso foi escalado para substituir Mario Frias, impedido de comparecer a um evento em Niterói por que estava cumprindo quarentena de quatro dias após ingressar no Brasil sem o passaporte sanitário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos