Educação pós-pandemia: parlamentares apresentam proposta de aula de reforço aos sábados

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados Felipe Rigoni (PSB-ES) e Tábata Amaral (PSB-SP) apresentam esta semana um pacote de recuperação econômica e social para o enfrentamento à pandemia. O primeiro pilar é focado em educação e propõe dois projetos de lei. Entre as medidas descritas na proposta está a implementação de auas de reforço aos sábados para alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Matemática e Português seriam as disciplinas lecionadas no fim de semana, segundo o texto.

A proposição prevê que, além das aulas coletivas de reforço, bolsistas atuariam nas ações de acolhimento aos sábados. O projeto prevê ainda aulas individuais de reforço de aprendizado com o apoio de bolsistas concluintes de cursos de licenciatura. Diretrizes e materiais orientadores sobre avaliações diagnósticas e formativas, planos de recuperação de aprendizagem, busca ativa, atuação intersetorial e acolhimento também estão sinalizados no projeto de lei.

Segundo os parlamentares, o projeto de lei estima uma projeção anual de atendimento a 10 mil escolas públicas de educação básica, atendendo estudantes dos anos finais do ensino fundamental e médio, com um orçamento anual de aproximadamente R$ 300 milhões para o pagamento de bolsas.

O trio também propôs a instituição, em cada unidade escolar, de um Comitê Gestor de Atenção Psicossocial, com a participação de representantes da atenção básica responsável pelo território e da comunidade escolar, facultada a participação dos serviços de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social.

Isso porque, de acordo com o trio, a pandemia da Covid-19 acarretou em um agravamento dos quadros mentais da população em geral e, em particular, das crianças e adolescentes. Segundo a pesquisa “Impactos Primários e Secundários da Covid-19 em Crianças e Adolescentes”, realizada em junho de 2021 pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), 56% dos adultos disseram que algum adolescente do domicílio apresentou um ou mais sintomas relacionados à saúde mental durante a pandemia.

Entre os problemas apontados estão: mudanças repentinas de humor e irritabilidade (29%); alteração no sono, como insônia ou excesso de sono (28%); diminuição do interesse em atividades rotineiras (28%); preocupações exageradas com o futuro (26%); e alterações no apetite (25%).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos