Edward Norton descobre que é descendente de Pocahontas

Ator de "Glass Onion" participou de programa de TV norte-americano que pesquisa origens ancestrais

Edward Norton na pré-estreia de
Edward Norton na pré-estreia de "Glass Onion: Um Mistério Knives Out" no Academy Museum of Motion Pictures em 14 de novembro de 2022 em Los Angeles, Califórnia. Ao lado, animação clássica da Pocahontas. (Foto: Steve Granitz/FilmMagic/Divulgação/Walt Disney Animation)

O ator Edward Norton descobriu que é descendente de 12ª geração da Pocahontas da vida real. Ele foi surpreendido com a informação durante o programa de estreia da nona temporada de "Finding Your Roots", do canal norte-americano PBS, que pesquisa a árvore genealógica de diversos famosos.

Na atração, o historiador e apresentador Henry Louis Gates Jr. confirmou que a estrela do novo sucesso da Netflix, "Glass Onion: Um Mistério Knives Out", é descendente da chefe indígena. A figura histórica viveu no século 17 e se transformou em lenda pelo mundo.

"Isso é o mais longe que você pode ir, a menos que [eu] seja [descendente de] um viking”, brincou Norton ao descobrir a informação no programa de TV. "Isso faz você refletir que é um pequeno pedaço da história humana".

O mundo conheceu uma versão da história de Pocahontas através da animação clássica da Disney, lançada em 1995, mas a realidade é um pouco diferente. Ela era filha do Chefe Powhatan, líder do povo Powhatan, e vivia no atual estado de Virgínia. Pocahontas ficou conhecida por impedir a morte do Capitão John Smith por sua tribo, mas diferente de versões da lenda, ela nunca se casou com ele, mas sim com um britânico chamado John Rolfe.

Ainda no programa, Edward Norton também descobriu que seu trisavô, John Winstead, foi um "dono" de pessoas escravizadas. "Isso não é confortável", declarou o ator de "Clube da Luta". “A resposta curta é que essas coisas são desconfortáveis ​​e você deveria se sentir desconfortável. Não é um julgamento sobre você e sua própria vida, mas é um julgamento sobre a história deste país e precisa ser reconhecido antes de tudo, e então precisa ser enfrentado”, afirmou ele.