Somália executa quatro membros da Al Shabab

Mogadíscio, 25 abr (EFE).- O Exército somalí executou quatro membros da milícia islamita Al Shabab que foram considerados culpados de planejar um ataque que tirou a vida de dezenas de pessoas, informou nesta terça-feira o presidente do tribunal militar que os condenou.

"Continuaremos eliminando os membros da Al Shabab por meio da Justiça", declarou o presidente da corte, Liibaan Ali Yarow.

A execução - feita por um pelotão de fuzilamento - aconteceu na cidade de Baidoa, capital da região de Bay, a mesma na qual foi perpetrado o atentado no ano passado.

A pena de morte dos quatro terroristas foi assinada pelo presidente de Somália, Mohamed Abdullahi Farmajo, durante sua visita ontem a Baidoa.

"O Governo executará todos os membros terroristas da Al Shabab no país se eles não se renderem", afirmou o presidente do tribunal.

Liibaan Ali Yarow comparou as garantias com as quais o sistema de Justiça somalí faz este tipo de execuções com os massacres de civis da Al Shabab, que perpetra regularmente sangrentos atentados contra soldados, políticos e cidadãos no país do chifre de África.

A aplicação da pena de morte a membros da Al Shabab declarados culpados de perpetrar atentados é habitual na Somália.

Al Shabab - que se filiou em 2012 à rede internacional da Al Qaeda - controla parte do território no centro e no sul do país e quer instaurar um Estado islâmico de corte wahabí em Somália. EFE