Paquistão detém 104 pescadores indianos por entrar em suas águas

Islamabad, 27 mar (EFE).- Forças de segurança paquistanesas detiveram 104 pescadores indianos nos últimos dias por entrar em suas águas territoriais, em um momento de tensão entre ambos países, informou nesta segunda-feira à Agência Efe uma fonte policial.

"73 pescadores indianos foram detidos ontem e 31 na noite anterior, e se encontram sob custódia policial neste momento", detalhou Abid Ali, porta-voz da polícia do porto de Karachi, cidade meridional paquistanesa onde permanecem retidos.

Ali afirmou que os 104 detidos viajavam em seis embarcações que entraram nas águas do Paquistão sem permissão e serão apresentados perante um juiz nos próximos dias.

As detenções de pescadores indianos no Paquistão e de paquistaneses na Índia por entrar em águas territoriais do país vizinho são frequentes e alguns deles chegam a permanecer vários anos na prisão.

Sua libertação costuma ser uma ferramenta de distensão entre as duas potências nucleares.

No início deste mês, por exemplo, a Índia entregou ao Paquistão 21 pescadores, enquanto em janeiro Islamabad libertou 219 pescadores indianos.

A habitualmente tensa relação entre Paquistão e Índia piorou nos últimos meses após um ataque de insurgentes em setembro do ano passado, supostamente apoiados pelo Paquistão, a um batalhão em solo indiano, o que Nova Délhi respondeu com "ataques cirúrgicos" na fronteira.

Ambos países expulsaram diplomatas da respectiva nação vizinha e houve uma intensificação das violações do cessar-fogo estipulado em 2003 na fronteira com 86 mortos em quatro meses, segundo Islamabad.

Índia e Paquistão mantêm uma disputa pela região da Caxemira após a partilha do subcontinente indiano em 1947 e travaram três guerras e vários conflitos desde sua separação. EFE