Exército egípcio mata líder do Wilayat Sina, braço local do EI

Cairo, 2 abr (EFE).- Um dos líderes do Wilayat Sina, o braço egípcio do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), Salem Salma al Hamadin, conhecido como Abu Anas al Ansary, morreu durante um ataque aéreo do Exército, informou neste domingo um porta-voz militar.

O porta-voz das Forças Armadas egípcias, general Tamer al Refai, disse em comunicado divulgado em sua conta oficial do Facebook que Al Ansary ficou ferido em um bombardeio realizado em 18 de março e morreu mais tarde por causa dos ferimentos.

Al Ansary, que pertence à tribo Al Sawarqa, era um dos fundadores do grupo extremista Ansar Beit al Maqdis (seguidores da Casa de Jerusalém), que em 2014 mudou de nome após jurar lealdade ao EI.

O falecido era responsável de armar e treinar os membros do grupo terrorista, que opera principalmente na província do Norte do Sinai (nordeste), acrescentou a fonte.

O porta-voz, que se referiu ao grupo com o antigo nome, Ansar Beit al Maqdis, não precisou o lugar exato e nem a data na qual morreu este líder.

O bombardeio foi realizado em 18 de março e nele morreram 18 supostos jihadistas, embora até agora não havia sido informado que um deles era Al Ansary.

Na semana passada, o Exército anunciou a morte de outro líder do grupo, em uma operação na qual também faleceram cinco supostos jihadistas.

Nas últimas semanas, os militares realizaram várias operações contra Wilayat Sina, na qual morreram dezenas de supostos terroristas.

O grupo se atribuiu a maioria dos ataques terroristas cometidos nos últimos anos no norte do Sinai, que em sua maioria têm como alvo o Exército e a polícia. EFE