El Salvador constrói prisão gigantesca para 40 mil acusados de pertencer a quadrilhas

O presidente salvadorenho, Nayib Bukele, assegurou nesta quinta-feira que ficará pronta em 60 dias a megaprisão onde ficarão os 40 mil membros de gangues detidos no quadro de uma guerra declarada por seu governo.

Contexto: Congresso de El Salvador aprova regime de emergência por um mês após série de assassinatos atribuídos a gangues

Leia também: Reação enérgica dos EUA a manobra política em El Salvador confirma que América Central é prioridade de Biden

"Há exatamente um mês anunciei a construção do centro de confinamento ao terrorismo (...), que ficará pronto em 60 dias", afirmou o presidente em sua conta no Twitter.

Bukele mostrou um vídeo onde muitos homens são vistos trabalhando com máquinas pesadas em um grande terreno localizado na parte Sudeste do país.

A prisão está sendo construída longe das cidades e é cercada por terrenos estatais, com vários níveis de muros e 37 torres de vigia.

"Terá espaço para 40 mil terroristas, que ficarão isolados do mundo exterior", afirmou o presidente salvadorenho.

Em resposta a uma escalada de 87 assassinatos cometidos entre 25 e 27 de março, o Congresso aceitou um pedido de Bukele para decretar um regime de emergência, que foi estendido pelo menos até o final de agosto, e permitiu a prisão sem mandado de 47 mil pessoas, supostos membros de gangues.

O regime suspende ainda a liberdade de associação, o direito de defesa, estende o período de prisão preventiva de três para 15 dias e permite a interceptação das comunicações.

Antes da repressão do governo às gangues, cerca de 16 mil de seus membros estavam presos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos