Ela nasceu menino, mas era menina

Brian Prowse-Gany
Jazz Jennings, autora de "I am Jazz".

O que define o gênero de uma pessoa? É a biologia ou o modo como a pessoa se sente, ou ambos? Conforme a discussão acerca do assunto aumenta, uma garota compartilhou sua história pessoal para tentar ajudar outros na mesma situação.

Jazz Jennings nasceu menino, mas desde muito cedo - já aos 15 meses - demonstrou um lado feminino muito claro. Com 2 anos, começou a conseguir verbalizar seus sentimentos e aos 5 era uma das primeiras pessoas a ser diagnosticada com Trantsorno de Diferença de Gênero - um persistente desconforto com as próprias características de gênero acompanhadas de uma identificação forte com o gênero oposto.

Depois do diagnóstico, Jazz recebeu um apoio total da família, que decidiu abraçar a diferença e  começou a ajudar na mudança ainda no jardim da infância. Apesar das dificuldades, Jazz manteve a determinação e seguiu com a decisão que sentia ser a mais adequeada.

Com 14 anos, Jazz é co-autora de um livro de meemórias ilustrado e chamado "I Am Jazz" ("Eu Sou Jazz"). O livro aborda os primeiros anos de Jazz, o diagnóstico do transtorno e não é só para crianças da comunidade LGBT, mas para qualquer pessoa que se sente desconfortável consigo mesma.

Semanas depois de ter sido escolhida como uma das 25  adolescente mais influentes de 2014 pela revista Time, Jazz concedeu esta entrevista para Kate Couric e para o Yahoo.