'Ele é meu amigo', diz Russomanno sobre aliança com França em eventual 2 turno

Gustavo Schmitt
·1 minuto de leitura
Bruno Rocha / Fotoarena
Bruno Rocha / Fotoarena

SÃO PAULO. O candidato à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, do Republicanos, fez um aceno na direção de Márcio França (PSB) com vistas a um eventual apoio no segundo turno da eleição.

Russomanno tem evitado ataques contra França, ao mesmo tempo em que centra fogo diariamente em adversários como o prefeito Bruno Covas, do PSDB, que disputa à reeleição, e Guilherme Boulos (PSOL).

Embora sua candidatura tenha viés de baixa nas pesquisas e sua rejeição siga em alta, Russomanno adotou postura negacionista contra as sondagens e afirma que em seus levantamentos internos continua em segundo lugar e que precisará de apoio de outras candidaturas. Questionada se um desses aliados poderia ser França, Russomanno respondeu:

-Ele (França) é meu amigo - afirmou o candidato.

Segundo o último levantamento do instituto Datafolha, Covas lidera isolado com 28% das intenções de votos. No segundo pelotão, aparece Russomanno com 16% e em situação de empate técnico com Boulos, que tem 14%, e França, com 13%.