‘Ele colocou uma arma na minha cabeça e dizia para não parar’, diz motorista de carreta obrigado a dirigir por mais de 10 quilômetros

RIO — O sequestro de uma carreta carregada com uma carga de goma de tapioca, avaliada em mais de R$ 160 mil, no final da noite desta quinta-feira (28), terminou com quatro criminosos presos após uma perseguição de mais de 10 quilômetros entre a Avenida Brasil, na altura do bairro Jardim América, e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Durante a tentativa de parada, um bloqueio foi furado, e um carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ficou parcialmente destruído. Um dos criminosos chegou a perder a perna.

O caminhão vinha do Ceará e estava quase chegando ao local de destino, quando na Avenida Brasil, na altura do Jardim América, a carreta foi parada por três criminosos armados. Um deles entrou na cabine e rendeu o motorista. Os outros dois bandidos seguiram de carro, escoltando a carga, e mais dois davam cobertura em um segundo veículo.

– Quando eu estava indo para um posto de pernoite, eu fui abordado por um carro branco e um motorista apontando uma arma para mim. Eu parei, um homem entrou pela janela do motorista e mandou eu seguir o carro branco. Como eu estava pesado, o carro branco sumiu e eu fiquei para trás. Logo depois ele mandou em entrar em uma rua de um bairro – relatou a vítima, que completou: – Houve o encontro com uma viatura e ai começou a perseguição. Durante todo tempo ele ameaçava com a arma e eu fazia o que ele ia mandando. Ele mandava eu não parar. Fizeram um bloqueio e eu tive que furar o bloqueio. Eles começaram a atirar nos pneus para ver se parava. Ele mandou eu fazer zig-zag para não acertar nos pneus. O rapaz estava com uma arma na minha cabeça e dizia para eu não parar – relatou o homem ao Bom dia Rio, da TV Globo.

Motoristas que passavam na Avenida Brasil, no momento do roubo, informaram a PRF e a Polícia Militar, que começaram a perseguição. A pista central da Avenida Brasil chegou a ser fechada na altura da Cidade Alta, e a polícia conseguiu prender dois bandidos que estavam escoltando o roubo.

Entretanto, enquanto os agentes faziam prisão, a carreta furou o bloqueio em alta velocidade. O motorista que dirigia a carreta foi obrigado a jogar o veículo contra um dos carros da PRF. A viatura ficou prensada contra a mureta e ficou com a parte de trás destruída. Por sorte, nenhum agente se feriu.

Em alta velocidade, com os pneus furados e escoltada por diversas viaturas da PM e da PRF, a carreta continuou em alta velocidade. Somente no KM 176 da Dutra, em Nova Iguaçu, o motorista perdeu o controle e parou em um bloqueio da polícia. Thiago Rodrigues Vicente, 22 anos, o bandido que havia sequestrado o motorista, ficou ferido e precisou amputar uma das pernas, no Hospital da Posse. Com o criminoso os policiais encontraram um revólver e um bloqueador de sinal – aparelho usado para impedir o rastreamento de veículos. O homem é um velho conhecido da polícia. Ele já havia sido preso por diversos roubos e tráfico de drogas.

Os outros dois ladros que estavam no segundo carro que fazia a escola conseguiram fugir. Os presos foram levados para a 27ª DP (Vicente de Carvalho).

Na manhã desta sexta-feira, um quarto homem foi preso. De acordo com a Polícia Civil, ele era o dono de um dos carros usados na ação. O suspeito esteve na delegacia para registrar um boletim de sobre o caso, informando ter sido vítima de um assalto. Entretanto, os criminosos presos na noite anterior já tinham dito à polícia que o carro usado era emprestado e pertencia ao homem que tentou fazer a queixa.

Os presos confessaram que tinham combinado em dar uma parte do dinheiro para o dono do veículo, caso o roubo fosse concluído. De acordo com a Civil, esse quarto preso ainda estaria com um caminhão-baú para pegar a carga. Além do carro usado no roubo, o caminhão-baú também foi apreendido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos