'Ele estava realmente em coma total', diz homem que tentou ajudar brasileiro morto na Espanha

·2 minuto de leitura

LA CORUÑA, ESPANHA — Dois homens que viram o brasileiro Samuel Luiz Muñiz, de 24 anos, caído no chão após ser brutalmente espancado em La Coruña, na Espanha, na madrugada do último sábado, contaram os momentos que passaram tentado ajudar o jovem. Marco e Begonã haviam saído pela primeira vez em um ano. Eles viram Samuel no terreno e ficaram junto dele enquanto aguardavam a chegada da ambulância.

Begoña ligou para o 112 (número de emergência). Já Marco tentou manter Samuel vivo.

— Quando eu vejo o menino no chão, primeiro tiro um pouco da roupa dele para deixá-lo confortável, coloco uma espécie de travesseiro nele, coloco ele de lado, coloco a língua de fora, tudo para tentar evitar que ele se afogasse — contou ele, em entrevista reproduzida pelo jornal "El Mundo".

Detenções: Polícia prende três suspeitos da morte de jovem de origem brasileira na Espanha

Em seguida, Marco tomou o pulso de Samuel:

— Eu estava acompanhando-o, conversando com ele, tentando acordá-lo. Mas ele estava realmente em coma total. Tomei seu pulso três vezes durante aqueles minutos e não consegui encontrar.

O homem contou que lembrou dos filhos nos momentos que passou junto com o jovem brasileiro.

— A ambulância demorou um momento para chegar. Primeiro veio uma, depois a outra. Ficamos lá uma hora, mais ou menos. Tenho quase 50 anos e tenho filhos dessa idade. Imaginei como se ele fosse mais um filho. Segurando-o, ficando com ele para que não ficasse sozinho ali — disse.

Três pessoas foram presas por envolvimento no espancamento de Samuel. São jovens com idades entre 20 e 25 anos, da própria cidade de La Coruña.

Os investigadores recolheram depoimentos de 15 testemunhas. Por ora, eles não descartam qualquer linha de investigação, nem mesmo a de crimes de ódio, informou, nesta quarta-feira, o delegado do Governo na região de Galiza, José Miñones.

— Não estão descartadas novas prisões ao longo destes dias — disse ele.

Miñones afirmou que o objetivo é “fechar bem a investigação para levar os responsáveis à Justiça e que não haja nenhuma dúvida (da culpa deles)”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos