'Ele morreu no lugar que mais amou na vida', diz sobrinha de músico encontrado no Arpoador

·3 minuto de leitura

No domingo, Dia dos Pais, a atriz e terapeuta Valentinha Portas Seabra, de 33 anos, esteve com o tio, Sérgio José Coutinho Stamile, de 41, na casa dos avós. Almoçaram em família e ele contou a todos, animado, sobre os novos projetos de audiovisual em que ele trabalhava em parceria com a namorada, a atriz, produtora e cantora Carla Daniel. Pouco mais de 24 horas depois, ela o deixou em casa, na Rua Bulhões de Carvalho, em Copacabana, e, andando a pé por 1,2 quilômetros, ele foi para o Parque Garota de Ipanema, no Arpoador. Lá, seu corpo foi encontrado por policiais militares do 23º BPM (Leblon), na manhã seguinte. O caso ainda é investigado pela Delegacia de Homicídios da capital (DHC).

Valentina conta que Sérgio nasceu, foi criado e passou toda a vida nos arredores do Posto 7, o que lhe rendeu o apelido de Pirata do Arpoador. Era lá que ele meditava diariamente, andava skate, surfava e ainda desenvolvia seu maior hobbie: a música. Tanto as areias daquele trecho como a pedra e também o parque serviram de cenário para apresentações das bandas que participou, como a Os Arpoadores, em que tocava baixo e contrabaixo.

- Realmente ainda não dá para acreditar até agora no que aconteceu. Ele estava super bem, feliz, empolgado. Mas sabemos que ele morreu no lugar que mais amou na vida e que se tornou ponto de encontro da família e dos amigos. Estava lá todo dia, amava e era amado por todos dali, e se nomeou justamente como Pirata do Arpoador, por desbravar como ninguém aquele espaço - conta Valentina, em entrevista ao GLOBO.

Formado em Publicidade, Sérgio trabalhou por mais de dez anos na área de Marketing de uma produtora de cinema nacional. Recentemente, estava envolvido com outras plataformas artísticas. No tempo livre, gostava de fazer pimentas artesanais e escrever poesias.

Chacina de Nova Brasília: policiais denunciados por mortes são absolvidos pela Justiça, após 27 anos

- Serginho, ou Gito ou Gigito, como eu o chamava, além de ser inteligentíssimo, era um dos seres humanos mais genuinamente generosos e amorosos que eu conheci. Meu tio tinha uma característica desde criança que era o prazer em fazer as pessoas felizes por onde passava. Ele fazia imitações e só descansava quando riam de suas piadas. E tudo isso vai ficar guardado em todos nós para sempre.

Valentina afirma que a família aguarda a chegada dos dois filhos adolescentes de Sérgio, que atualmente moram em Portugal com a sua ex-mulher, para jogar as cinzas de seu corpo no mar. Com o laudo da necropsia indiciando a causa da morte do músico como indeterminada, eles acreditam que ele sofrido um mal súbito. Amostras de sangue agora passam por exames complementares no Instituto Médico-Legal (IML).

Na perícia feita por agentes da DHC, o corpo apresentava lesões como se tivesse sido arrastado e pode ter caído ou sido jogado de uma pedra com altura aproximada de três metros. De acordo com o professor titular de Medicina Legal da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), o perito Nelson Massini, no entanto, o resultado descarta que a queda da pedra tenha provocado uma lesão fatal.

Policiais da especializada também buscam imagens de câmeras de segurança que ajudem a esclarecer o que aconteceu com Sérgio. Eles estiveram no prédio dele e ainda em edifícios e comércios na Rua Francisco Otaviano, no Arpoador, próximo a uma das duas entradas do Garota de Ipanema. Já se sabe que o músico entrou no local após o horário de funcionamento. Embora os portões do espaço sejam abertos às 6h e fechados às 17h, diariamente, grades quebradas permitem o livre acesso dos frequentadores em qualquer momento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos