"Ele pode queimar no inferno", diz mãe de ciclista morto confundido com javali

Marc Sutton (Reprodução)

Um ciclista britânico foi morto por um tiro de escopeta nos Alpes franceses enquanto treinava porque um caçador o confundiu com um javali. Mas ao invés de ficar triste, a família de Marc Sutton lamentou que ele tenha tido uma morte “rápida e sem sofrimento”.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Através de um comunicado em seu Facebook, a mãe de Sutton, Katrina Toghill, garantiu que “ele era um monstro e que poderia queimar no inferno”. A irmã do ciclista que foi estuprada por ele várias vezes também não mostrou nenhum remorso: “Ele era um estuprador e estou feliz que ele morreu, assim ele não pode machucar mais ninguém”, disse Katie Toghill ao tabloide inglês The Sun. “Ele mereceu ser atirado como um animal, já que ele era o maior animal existente”.

Algumas das ex-namoradas de Sutton manifestaram seu apoio aos familiares e falaram sobre experiências ruins com o ciclista. “Ele nos fez passar pelo inferno, agora é a vez dele de queimar no inferno. As pessoas pintavam ele como um anjo, mas nós sabemos que ele era psicopata”, afirmou Ann-Marie Mounty.

Enquanto isso, o pai e a companheira de Marc saíram em sua defesa. John Sutton alega que Katrina e Katie “estão buscando atenção” e fez um relato à Polícia dizendo que tudo é mentira. Já a namorada Jo Watts afirmou que “é triste que as pessoas façam essas acusações quando ele não pode se defender” e que “Marc sempre foi um homem amoroso”.

Sutton vivia na França, onde tinha um restaurante. Com 34 anos, ele sofreu um disparo de um jovem de 22 anos que fazia parte de um grupo de 18 caçadores.

Leia mais:
– Segundo jornal, Neymar quer voltar para o Barcelona
– A ‘Maldição de Heynckes’ que pode afetar Julen Lopetegui
– Ex-SP, Régis é preso por tentar invadir apartamento