Ele vai: conheça Hannibal Mejbri, meia da Tunísia que precisou amadurecer na infância

Hannibal Mejbri não teve uma infância comum. Filho de Lotfi Mejbri, que jogou pela seleção da Tunísia, ele cresceu com o sonho de vestir as cores das Águias de Cartago. A experiência de Lotfi, que viu em primeira mão as dificuldades da profissão, suavizou a pressão em cima do meia, hoje com 19 anos.

Observado por olheiros desde os 9 anos de idade, antes de atingir a puberdade Mejbri já era desejado por gigantes europeus como Arsenal, Manchester United e Lyon. Nascido em uma área suburbana de Paris, começou a jogar na escolinha do Paris FC e aos 15 anos, foi chamado para treinar no Instituto Clairefontaine, que tem como objetivo desenvolver jovens jogadores para a seleção da França.

A partir daí, assinou um contrato com o Mônaco e outro com a Adidas. A família foi fundamental para que o jovem não se deslumbrasse com o próprio potencial. Os pais de Hannibal sempre deram ênfase na educação do filho, e Lotfi chegou a afirmar que uma carreira como médico ou advogado era mais possível no futuro, Em todo caso, não queria que o filho crescesse “sem ter nada na cabeça”.

— Aprendi a viver com inveja ao meu redor. Isso acontece há muito tempo, então eu me fechei em uma bolha — afirmou Hannibal aos 15 anos.

O próximo passo foi a ida para o Manchester United aos 17 anos por 10 milhões de euros (na cotação de hoje, cerca de R$50 milhões).

Mesmo marcando três gols nas 15 vezes que atuou pela seleção francesa de base, o coração falou mais alto e o jovem optou por defender a Tunísia.

— Acho que essa foi a melhor decisão para minha família e para mim. Estou muito orgulhoso, a Tunísia é o meu país, o país dos meus pais, então é claro que existe essa cumplicidade— declarou o jogador, que estreou em maio de 2021 e já entrou em campo 18 vezes.

Atualmente, Hannibal Mejbri está emprestado ao Birmingham, e disputa a segunda divisão inglesa.