Eleição brasileira no exterior registra filas de até 4 horas de espera

MILÃO, ITÁLIA, 30/10/2022 - Movimento de eleitores brasileiros em seção eleitoral de Milão, na Itália, para a votação do segundo turno presidencial entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Michele Oliveira/Folhapress)
MILÃO, ITÁLIA, 30/10/2022 - Movimento de eleitores brasileiros em seção eleitoral de Milão, na Itália, para a votação do segundo turno presidencial entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Michele Oliveira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Assim como aconteceu no primeiro turno, muitos brasileiros encontraram filas longas para votar em várias cidades europeias nas eleições deste domingo (30). Em Paris, houve pessoas relatando até 4 horas de espera, enquanto em Zurique esse tempo chegou a 3 horas. Lisboa e Milão também são cidades que apresentam filas.

Nas redes sociais, uma brasileira chegou a filmar a aglomeração que se formava em Zurique, na Suíça, e afirmou que, apesar de ter levado 3 horas para votar, a organização estava melhor que a do primeiro turno, quando levou 4 horas na fila. Em Genebra, o segundo local de votação na Suíça, no entanto, o movimento é mais tranquilo neste domingo.

Em Milão, a fila para votar às 8h30 (horário local, 3h30 no Brasil) dava a volta na quadra do centro de eventos Milano Luiss Hub, onde aconteceu a votação. Uma eleitora que votou nesse horário esperou 1 hora e 15 minutos para entrar na seção e mais meia hora para votar. Eleitores de Lula e Bolsonaro cantavam slogans de suas campanhas de preferência, mas não havia discussões nem tumulto.

No primeiro turno, Lisboa, Londres, Paris, Milão e Berlim registraram espera de mais de uma hora. Cidade com maior número de eleitores brasileiros no exterior, a capital portuguesa ainda registrou tumulto entre grupos que apoiam Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

Nas capitais francesa, britânica e alemã, o tempo de espera chegou a ser de três horas no primeiro turno. Quando o horário de votação se encerrou em Paris, às 17h (12h em Brasília), cerca de 2.000 senhas foram distribuídas pelo consulado brasileiro para dar conta das pessoas que ainda seguiam na fila. Com isso, a votação seguiu até as 19h (14h em Brasília).