Eleição no Fluminense: Rolim e Souto têm problemas para registro; chapa de Mário é homologada

A eleição do Fluminense está enfrentando problemas no que diz respeito ao registro de chapas. Na última terça-feira, os pré-candidatos Marcelo Souto e Rafael Rolim apresentaram na secretária do clube os 200 nomes de sócios representantes de suas chapas. Mas, nesta quinta, foram informados de que houve inconsistências nas fichas e eles precisam retificá-las para terem suas candidaturas homologadas.

As chapas de Rafael Rolim e Marcelo Souto tiveram mais de 40 inconsistências nas fichas e terão até 18h do próximo sábado para corrigir e poder concorrer ao pleito. Caso eles não consigam homologar as chapas, Mário Bittencourt, como candidato único, será reeleito presidente do Fluminense.

A chapa de Mário Bittencourt também teve 20 inconsistências, mas já foi homologada após correção. O pleito acontece no próximo dia 26 de novembro.

Para registrar a chapa, os candidatos precisam conseguir 200 assinaturas de sócios do clube – sem contar a modalidade sócio-futebol. Um mesmo sócio não pode assinar para dois candidatos diferentes. Essas assinaturas são importantes não apenas para o registro de chapa, mas porque os 150 primeiros nomes são eleitos para o Conselho Deliberativo, enquanto os outros 50 ficam como suplentes.