Eleição nos EUA: Lápides em cemitério judeu são pichadas com o nome de Trump no Michigan

Extra
·1 minuto de leitura

A polícia de Michigan, nos Estados Unidos, investiga o vandalismo que deixou várias lápides em um cemitério judeu em Grand Rapids pichadas com o nome de "Trump" e "Maga", sigla da campanha de Donald Trump que significa "Make America Great Again". Isso aconteceu na segunda-feira, dia 2, antes que o atual presidente realizasse seu último comício na cidade de Michigan. Os túmulos no cemitério Ahavas Israel foram pintados com spray vermelho.

Segundo o sargento John Wittkowski, porta-voz do departamento de polícia da cidade, nenhuma evidência foi deixada no local. O policial afirmou que não houve prisões até o momento e nenhum suspeito foi identificado.

Em um comunicado, o Michigan Democratic Jewish Caucus disse que estava indignado com "a profanação", e afirmou que o vandalismo, pouco antes do dia da eleição, tinha como objetivo "enviar uma mensagem intimidadora aos oponentes do presidente, e particularmente aos eleitores judeus".

"Mas falhou. A comunidade judaica de Grand Rapids não será intimidada por este ataque vil contra Ahavas Israel", disse.

A Liga Anti-Difamação de Michigan disse que está trabalhando com a polícia local para investigar as sepulturas vandalizadas e que está "chocada com a profanação relatada". A seção de Michigan do Conselho de Relações Americano-Islâmicas convocou as autoridades federais para investigar o vandalismo como um crime de ódio e disse que estava oferecendo uma recompensa de US$ 1.000 por informações que levassem à prisão e condenação no caso.

"Os locais sagrados de pessoas de fé devem ser protegidos do vandalismo que visa espalhar o medo e a intimidação", disse o diretor executivo do capítulo de Michigan, Dawud Walid, em um comunicado.