Eleição nos EUA: Um dia após vitória de Biden, Trump ainda não reconheceu resultado

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: Arte O Globo
Foto: Arte O Globo

O democrata Joe Biden será o o 46o presidente dos Estados Unidos, segundo o resultado da votação no Colégio Eleitoral projetado pelos principais meios de comunicação dos EUA. No momento, ele já garantiu 279 votos no Colégio, contra 214 do presidente Donald Trump, que ainda não reconheceu sua derrota.

Na noite de sábado, o democrata fez um discurso de vitória em tom de unidade, afirmando que é "esta era sombria de demonização nos EUA" deve começar a acabar e instando democratas e republicanos a se tratarem como oponentes, não como inimigos.

A colega de chapa de Biden, Kamala Harris, também faz História ao ser a primeira mulher e a primeira pessoa negra e de ascendência asiática a ser eleita para a Vice-Presidência dos EUA.

No sábado, Trump se pronunciou por comunicado, negando-se a aceitar o resultado e afirmando que vai dar início a uma série de pedidos para tentar contestar o resultado, mesmo sem indícios de irregularidades na votação e na apuração.

A apuração ainda está pendente no Arizona, na Geórgia e na Carolina do Norte. À exceção deste último, Biden é favorito para ganhar nos demais.

Todos os resultados são, por enquanto, baseados em projeções dos principais meios de comunicação americanos — como nos EUA cada estado tem as próprias regras eleitorais, não há um órgão nacional que centralize a apuração dos votos e a a proclamação dos resultados.

O Colégio Eleitoral só se reunirá para sacramentar o resultado da eleição em 14 de dezembro, e os votos dos delegados ao Colégio serão contados em uma sessão conjunta da Câmara e do Senado em 6 de janeiro. A posso do novo presidente é em 20 de janeiro.

Continuando com os ataques ao processo eleitoral e a seu adversário, Donald Trump postou mais uma vez em suas redes que a eleição foi fraudada. Desta vez, comparando com o resultado de pleitos anteriores, a publicação diz que "é impossível imaginar que Biden tenha ultrapassado Obama em alguns estados".

“Acreditamos que essas pessoas são ladrões. As máquinas da cidade grande estão corrompidas. Esta foi uma eleição roubada. O melhor pesquisador do Reino Unido escreveu esta manhã que esta foi claramente uma eleição roubada, que é impossível imaginar que Biden ultrapassou Obama em alguns desses estados. Onde importava, eles roubaram o que tinham que roubar", escreveu Trump.

Desde antes da eleição, o republicano já vinha questionando a lisura da votação, mas nunca apresentou nenhuma prova das supostas fraudes. As ofensivas aumentaram à medida que Trump percebia que estava perdendo na disputa eleitoral. Mais cedo, o presidente, que ainda não reconheçou a derrota, fez outra postagem seguindo a mesma linha. Ambas as postagens foram marcadas pelo Twitter como publicações contendo afirmações não comprovadas.