Eleições 2020: Tiro, prisões e brigas marcaram o primeiro turno da votação pelo Rio

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: RICARDO MORAES / REUTERS

santinho complexo.jpg

Foto: RICARDO MORAES / REUTERS

Eleitores feridos, candidatos presos e assistentes detidos com dinheiro em boca de urna marcaram o domingo das eleições no Rio de Janeiro. Relatório do TSE, divulgado nesta tarde, revela que 45 candidatos foram presos praticando irregularidades eleitorais em 10 estados do Brasil. Cinco deles, no Rio de Janeiro.

Em Santa Maria Madalena, no Norte Fluminense, por exemplo, o candidato a vereador Carlos Roberto Ribeiro Filho, conhecido como Beto Ribeiro (Avante), foi preso em flagrante por suspeita de compra de votos na região onde concorre. Foram encontrados com Beto o valor equivalente a R$ 2.050 reais.

Já em Búzios, uma operação de fiscalização eleitoral, em parceria com a Polícia Militar, prendeu, em flagrante, Anderson Neves Machado, de 39 anos, com R$ 6,2 mil em espécie no carro junto com material de campanha. Foram encontrados também anotações de distribuição de dinheiro e um papel escrito “boca de urna”.

Em Japeri, a polícia civil autuou Leonardo de Magalhães Araujo, companheiro da candidata Luiza Marilax da Silva (PSL), conhecida como “Dinha do Salão”, e Luana Serafim Andrade por crime de captação ilícita de sufrágio no município. Segundo a polícia, o parceiro de Dinha foi encontrado oferecendo R$ 50 reais para quem confirmasse o voto na candidata com fotografia da urna - outro crime. Já Luana foi encontrada com a quantia recebida por Leonardo. O companheiro de Luiza tinha, no total, R$ 4,8 mil destinados à compra de votos.

Também foram encontrados pelo Departamento Geral de Polícia Especializada diversas pessoas distribuindo santinhos do candidato a vereador Marcello Siciliano (Progressistas), em Santa Cruz. Foram apreendidos o carro utilizado pela equipe, material de candidatura, prancheta de controle e o fornecedor do material. Todas os envolvidos foram encaminhados para a 36ª DP (Santa Cruz).

Além da boca de urna, em São Gonçalo, um jovem de 24 anos e uma senhora 56 foram baleados próximos ao CIEP Patrícia Galvão Pugo, zona eleitoral no município localizado na região metropolitana do estado. De acordo relatos, a confusão aconteceu após policiais militares terem perdido a chave da motocicleta que o jovem dirigia com mais 2 pessoas quando foi abordado. A polícia alega que os PMs foram atacados por armas de fogo enquanto passavam pelo local. De acordo com o hospital estadual Alberto Torres, para onde foram levadas as vítimas, o menino está em estado grave e a senhora, estável.