Eleições 2020: TSE registra recorde de quase 1 milhão de voluntários

Suzana Correa
·2 minuto de leitura
Foto: Ana Branco
Foto: Ana Branco

SÃO PAULO - Apesar da pandemia do coronavírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou recorde de mesários voluntários para trabalhar na eleição: 960 mil, cerca de 25% a mais do que no último pleito. Um total de 1,4 milhão de pessoas trabalharão no domingo — os 440 mil extras foram convocados pelo órgão. No total, 678 mil novos voluntários se inscreveram: eles se juntam aos 282 mil que já faziam parte do banco do TSE desde eleições anteriores. O número de inscritos em 2020 é três vezes o de 2016.

Entre as motivações para a participação dos voluntários estão os dois dias de folga do trabalho garantidos pela lei, além de vantagem em casos de empate em concursos públicos e créditos extras em disciplinas de faculdades conveniadas com os Tribunais Regionais Eleitorais. Para o TSE, a alta na participação é reflexo da campanha do Tribunal para mobilizar novos voluntários, que incluiu propaganda veiculada na TV, em horário nobre, com a participação de personalidades como o médico Dráuzio Varella.

A tendência é que, nas eleições deste ano, os mesários voluntários sejam em sua maioria jovens, já que eleitores mais velhos fazem parte do grupo de risco da Covid-19. É o caso de Giovanna Navarro, de 19 anos, auxiliar pedagógica e moradora da zona norte de São Paulo. Ela será presidente da seção, posto geralmente destinado a quem já teve experiências como primeiro e segundo mesário. Giovanna, que se inscreveu de olho nas horas complementares garantidas na faculdade, fez cursos on-line oferecidos pelo TSE, mas está com receio de cometer erros pela inexperiência ou não ser respeitada por eleitores que se recusarem a seguir as novas regras, como uso obrigatório de máscara na seção.

“Participação importante”

Mas outro problema a aflige mais: este seria o primeiro voto da jovem, mas ela não sabe como fará para ir até sua seção, distante da em que trabalhará. O prazo para alteração provisória do local de votação, recurso usado por mesários para votar no local em que trabalham, encerrou em 1º de outubro — bem antes que Giovanna soubesse se e onde trabalharia nas eleições.

Também jovem, mas um pouco mais experiente na função, é Heloísa Justo, de 23 anos, moradora da zona oeste paulistana. Depois de também se voluntariar em 2016, ela será presidente de seção pela segunda vez.

— Apesar dos pesares, acho importante a participação, né? Ainda mais levando em conta a pouca importância que a população em geral parece dar para a política, às vezes — opina.