Eleições da Nicarágua serão ilegítimas, diz chefe da diplomacia europeia

·2 min de leitura
Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia (AFP/Olivier HOSLET)

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, afirmou nesta terça-feira (2) que as eleições deste domingo na Nicarágua não serão legítimas porque o presidente Daniel Ortega, que busca a reeleição, prendeu "todos os candidatos".

"O senhor Ortega se preocupou em prender todos os candidatos políticos que se apresentaram a essas eleições e não podemos esperar que este processo chegue a um resultado que possamos considerar legítimo e sim o contrário", declarou Borrell em Lima, primeira parada de uma viagem pela América Latina.

"A situação na Nicarágua é uma das mais graves que há neste momento no continente americano", declarou Borrell aos correspondentes estrangeiros, afirmando que o processo eleitoral só busca a "manutenção no poder do ditador" Ortega.

"Na Nicarágua há eleições que são completamente fake (de mentira)", disse o diplomata espanhol, ao insistir nas críticas que formulou em 18 de outubro em uma reunião de chanceleres da União Europeia em Luxemburgo.

Críticas similares à Nicarágua foram feitas na semana passada pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), que afirmou que as atuais condições repressivas "tornam inviável um processo eleitoral íntegro e livre", enquanto o Senado dos Estados Unidos aprovou na segunda-feira uma legislação para aumentar fortemente a pressão diplomática sobre Ortega (no poder desde 2007).

Borrell, que se reunirá nesta terça-feira com o presidente peruano Pedro Castillo, propôs também "juntar esforços para encontrar uma solução política para a situação da Venezuela".

"Essa solução política passa pelo desenlace das próximas eleições [regionais e municipais] nas quais toda a oposição se apresentará, coisa que não aconteceu nas últimas eleições legislativas”, expressou.

As eleições regionais de 21 de novembro na Venezuela contarão com uma missão eleitoral da UE, a primeira em 15 anos.

Em seu primeiro dia em Lima, na segunda-feira, o chefe da diplomacia europeia teve um encontro com o chanceler peruano Oscar Maúrtua.

Sua visita ao Peru busca fortalecer os laços políticos, econômicos e de cooperação, de acordo com um comunicado de seu escritório.

Na quarta-feira, Borrell viajará para Brasília.

fj/rsr/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos