Eleições legislativas na França podem ter abstenção histórica

A apenas três dias do primeiro turno das eleições legislativas na França, realizado no domingo (12), a imprensa francesa cogita uma possível abstenção recorde.

"Abstenção: primeiro partido da França", diz Le Figaro, que traz uma pesquisa de opinião realizada pela consultora Odoxa-Backbone para o jornal, segundo a qual a participação na votação deve ser uma das mais baixas da história recente. Apenas 46% dos franceses devem ir às urnas.

Desinteresse, revolta ou falta de informação, as causas do fenômeno seriam muitas, de acordo com a publicação, e preocupam os partidos. Segundo a pesquisa, os eleitores menos propensos a se abster são os que votam por deputados da base do presidente Emmanuel Macron.

Le Parisien destaca o discurso de Macron, na quinta-feira (9), em campanha no departamento do Tarn, no sul da França. Diante do avanço nas pesquisas da aliança de esquerda Nupes em torno de Jean-Luc Mélenchon, o chefe de Estado atacou a coalizão e pediu uma mobilização e “contra os extremos”, tanto de direita, quanto de esquerda.

Medo da esquerda

A ameaça da esquerda unida "aterroriza a maioria presidencial que tenta diabolizar Jean-Luc Mélenchon às vésperas das eleições legislativas", diz a manchete do Libération.


Leia mais

Leia também:
O que a vitória da esquerda nas eleições legislativas representaria para o governo Macron?
Avanço da coalizão da esquerda ameaça partido de Macron nas eleições legislativas francesas
Eleições legislativas da França: como votam jovens de Grenoble, a capital verde da Europa?

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos