Eleições nos EUA 2020: Trump volta a tuitar que venceu, apesar de Biden à frente e apuração em andamento

·3 minuto de leitura
Donald Trump
Donald Trump

Apesar de a apuração dos votos das eleições dos EUA ainda estarem em andamento e o democrata Joe Biden estar à frente em quatro Estados decisivos, o presidente Donald Trump escreveu em seu Twitter que venceu a eleição.

"EU GANHEI ESTA ELEIÇÃO, POR MUITO!", escreveu Trump na manhã deste sábado (07/11, horário local).

Instantes após a publicação, o Twitter já havia colocado um sinal de alerta na mensagem do presidente dos EUA, esclarecendo que fontes oficiais podem não ter divulgado ainda o resultado da eleição quando a mensagem foi publicada.

O alerta leva para a página em que o Twitter esclarece que nenhum vencedor está definido e que as cédulas continuam a ser contadas. Também aponta que são aguardados resultados em seis estados: Geórgia, Arizona, Pensilvânia, Nevada, Carolina do Norte e Alasca.

Até a manhã deste sábado, Biden já tinha assegurados 253 votos no colégio eleitoral, e Trump, 214. Além disso, Biden aparece à frente em quatro estados decisivos: Arizona, Georgia, Nevada e Pensilvânia.

Trump só aparece à frente no Alasca e na Carolina do Norte.

Não é a primeira vez que Trump diz que venceu a eleição sem ter conhecimento do resultado. Na quarta-feira (04/11), por exemplo, ele afirmou que havia vencido a eleição e acusou os democratas de tentarem fraudar o processo.

Veja, a seguir, os possíveis cenários para a vitória de Biden ou de Trump:

possíveis caminhos para vitória de trump ou biden
possíveis caminhos para vitória de trump ou biden

Mais cedo, Trump disse, também pelo Twitter, que fará o que chamou de uma grande conferência de imprensa em Filadélfia neste sábado. Em um tuíte anterior, que já foi excluído, ele disse que a coletiva de imprensa seria realizada por advogados.

Trump fez várias alegações infundadas de fraude eleitoral, que foram negadas por funcionários eleitorais locais. Além disso, várias de suas mensagens foram contestadas pelo Twitter, com o aviso de que 'Parte ou todo o conteúdo compartilhado neste Tweet é contestado e pode ser enganoso sobre uma eleição ou outro processo cívico.'

Comunicado divulgado na sexta-feira (06/11) pela equipe de Trump acusa os democratas de resistir ao "princípio básico" de que "todas as cédulas legais devem ser contadas e todas as cédulas ilegais não deveriam ser contadas", e diz que Trump "seguirá este processo em todos os aspectos da lei".

Cerca reforça segurança ao redor da Casa Branca, em Washington DC
Cerca reforça segurança ao redor da Casa Branca, em Washington DC

Trump sugeriu repetidamente que contar os votos por correspondência que chegam após o dia das eleições é "ilegal". Mas as cédulas atrasadas podem ser contadas em cerca de metade dos Estados dos EUA, desde que tenham o carimbo do correio até 3 de novembro (dia das eleições). Isso inclui Pensilvânia, Nevada e Carolina do Norte. E os prazos para a chegada de uma cédula postal variam de Estado para Estado.

Biden: ´Vamos ganhar essa corrida com uma maioria acima de qualquer dúvida´

Biden no palanque
À frente na apuração de votos, Biden pediu paciência com contagem e disse que vencerá com maioria clara

Na noite de sexta-feira (6/11), Biden fez um discurso em Wilmington, no Estado de Delaware, no qual disse que sua campanha "vai ganhar na Pensilvânia" e que espera obter 300 votos no colégio eleitoral.

"Vamos ganhar essa corrida com uma maioria acima de qualquer dúvida", disse o candidato. "Tivemos 74 milhões de votos. Isso é mais do que qualquer chapa presidencial já teve na história dos Estados Unidos."

Ele comemorou a "reconstrução do muro azul", uma referência à conquista pelo seu partido, representado por esta cor, de estados do Centro-Oeste que haviam dado vitória ao republicano Donald Trump em 2016.

Ao mesmo tempo, Biden fez um discurso conciliatório, pedindo que os americanos "deixem a raiva e a demonização para trás".

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!