Eleições nos EUA: quem é John Fetterman, casado com brasileira e eleito ao Senado

Fotografia colorida mostra mulher brasileira de pele branca e cabelo preto, usando um vestido verde escuro, ao lado de um homem branco, alto, careca e de barba
Gisele foi central na campanha do marido

Quando o político democrata John Fetterman foi eleito vice-governador da Pensilvânia, nos EUA, em 2018, sua mulher, Gisele Barreto Fetterman, fixou uma postagem em seu perfil no Twitter: "Pensilvânia, sua vice-primeira-dama é uma ex-imigrante ilegal. Obrigada."

Brasileira nascida na Tijuca, no Rio de Janeiro, Gisele nunca escondeu que viveu por 15 anos como imigrante ilegal nos EUA até obter seu green card (o visto de residência) em 2005 e sua cidadania em 2009.

Mas em 2018, a afirmação foi marcante porque ela havia sido chamada de "ilegal" por um rival de seu marido.

A resposta de Gisele, no entanto, mostrou que ela não tem vergonha de sua história e que não deixaria isso ser usado como ofensa.

O episódio, no entanto, não foi a última vez que ela sofreu ataques por ser imigrante. No ano passado, um vídeo de uma mulher xingando a brasileira no supermercado viralizou nas redes, causando revolta no público.

Politicamente atuante e muito presente nas redes sociais, Gisele foi central na campanha do marido ao Senado dos EUA neste ano - Fetterman foi eleito senador pela Pensilvânia com 50,5% dos votos.

Ele venceu o médico-celebridade Dr. Oz, republicano rico que tinha o apoio do ex-presidente Donald Trump e ficou famoso por dar conselhos de saúde no programa da apresentadora Oprah Winfrey.

A eleição de Fetterman é uma vitória-chave para os democratas na disputa pelo Senado em uma eleição em que o desequilíbrio entre democratas e republicanos na Casa pode definir o futuro do governo do presidente Joe Biden.

Foi também uma vitória histórica: nenhum democrata conseguia ocupar a cadeira de senador pela Pensilvânia desde 1962.

Para Fetterman, pessoalmente, a própria campanha já havia sido um desafio: ele sofreu um AVC antes das primárias e sua fala ainda estava afetada em agosto, quando ele apareceu publicamente pela primeira vez desde o incidente médico.

Rivais e jornalistas colocaram dúvidas sobre sua saúde, mas o jornal The New York Times afirmou que no último debate ele "estava fluente o suficiente para apresentar a sua visão democrata para um Estado que pode determinar o controle do Senado''.

Fotografia colorida mostra mulher de máscara ao lado de um cachorro sem raça definida e cor caramelo
Gisele adotou o cachorro Levi, que se tornou mascote da Pensilvânia

Pobres na piscina

Com a vitória, Fetterman, Gisele e seus três filhos - Grace, Karl e August - devem se mudar da Pensilvânia para Washington DC.

O cachorro da família - que já ganhou o prêmio 'Cachorros do Ano' do canal CW - também deve ir. Representando uma tradição brasileira, Gisele adotou um vira-lata caramelo, batizado de Levi.

Mesmo sendo vice-governador do Estado, Fetterman e sua família ainda moram em sua casa na pequena cidade de Braddock, onde se conheceram e onde ele foi prefeito.

O casal nunca chegou a ocupar a residência oficial na capital do Estado. Em vez disso, a enorme piscina da casa passou a ser usada para ensinar natação a crianças e adolescentes que normalmente não têm acesso a essa atividade.

Continuar na casa da família e fazer esse uso da piscina da residência oficial, disse o casal à imprensa americana, foram iniciativas de Gisele. Mas Fetterman tem a mesma postura despojada.

Com 2 metros de altura, voz grossa e várias tatuagens, ele é conhecido por circular de shorts e camiseta e diz que só tem um terno (usado para eventos oficiais) - não exatamente a primeira imagem que vem à cabeça ao pensar em alguém que é vice-governador e tem um diploma de mestrado na prestigiada Universidade Harvard.

Debochado nas redes sociais, costuma provocar defensores de Trump com piadas e sem papas na língua.

O trabalho assistencial sempre foi o foco de Gisele, que chegou a morar em um apartamento de um cômodo em Nova York com a mãe e o irmão quando a família ainda não tinha documentos de imigração.

Depois de conseguir o visto e se formar em nutrição, ela se tornou ativista contra a fome e por igualdade alimentar.

Foi, inclusive, por meio de uma carta dela para Fetterman perguntando sobre seus planos para revitalizar a cidade que o casal se conheceu.

Entre outras iniciativas, a brasileira é cofundadora da empresa 412 Food Rescue, que envia voluntários para recolher comidas perto do vencimento em supermercados e as entrega para ONGs que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade.

Também criou a Free Store, um local de distribuição gratuita de comida, cobertores, itens para cuidados com bebês e bicicletas para pessoas de baixa renda - tudo doado por voluntários de várias partes do país.

Fotografia colorida mostra Gisele abraçando Obama
Barack Obama, na foto com Gisele, fez campanha para Fetterman

'Orgulho da minha esposa'

Fetterman já afirmou que a atuação e a opinião da esposa influenciaram muitas de suas posturas políticas, como seu posicionamento sobre imigração, por exemplo - ele se opõe às inúmeras medidas anti-imigração criadas e propostas pelos republicanos.

Em um vídeo de campanha aberto com uma imagem do democrata ao lado de Gisele, Fetterman diz "eu tenho orgulho da história da minha esposa e dos sacrifícios que sua mãe fez ao tentar uma vida melhor nos EUA, porque se não fosse isso eu não teria minha parceira e minha incrível família."

A mãe de Gisele, Ester Barreto, se mudou para os Estados Unidos mesmo sem ter visto, abandonando uma vida de classe média no Brasil para ser faxineira em Nova York após sua irmã sofrer sete assaltos no mesmo ano no Rio de Janeiro.

No vídeo, Fetterman lembra do poema que está escrito na Estátua da Liberdade: "Mandem a mim suas massas cansadas e pobres que desejam ardentemente respirar livres".

"Desde que sejamos fiéis àquele sentimento original, os Estados Unidos vão continuar a crescer e prosperar. Porque a imigração faz da América, a América."

Fetterman é um autodeclarado progressista. Ele é contra a criminalização do aborto, contra a interferência americana em outros países, a favor de financiamento público para a saúde, da descriminalização da maconha e de uma reforma no sistema de Justiça criminal dos EUA - que hoje tem alto índice de encarceramento.

Como prefeito de Braddock, Fettermann passou a celebrar casamentos gays quando oficiais de cartório conservadores se recusavam a fazê-lo.

Ele também apoiou o movimento Black Lives Matter, mas diz que a ideia de diminuir o orçamento da polícia "é absurda". Ele é a favor do policiamento, mas afirma que os policiais precisam ter um maior engajamento com a comunidade.

- Este texto foi publicado originalmente em https://www.bbc.com/portuguese/internacional-63578655