Sarah McBride, a primeira transexual eleita senadora estadual nos EUA

Tom Gerken - Da BBC News
·2 minuto de leitura
Sarah McBride
Sarah McBride trabalhou na Casa Branca durante o governo de Barack Obama

Sarah McBride será a primeira senadora transgênero dos Estados Unidos, após obter uma vitória no Senado Estadual de Delaware nas eleições americanas de 3 de novembro.

Na corrida eleitoral, ela venceu o republicano Steve Washington e vai substituir o democrata Harris McDowell, que está deixando o cargo.

McBride, de 30 anos, trabalhou como assessora de imprensa do grupo LGBT Campanha de Direitos Humanos e foi estagiária na Casa Branca durante o governo de Barack Obama.

"Espero que esta noite (de terça-feira) mostre a uma criança LGBT que nossa democracia é grande o suficiente para eles também", tuitou McBride após os resultados eleitorais.

Ela é parte de um grupo de candidatos que está fazendo história nas eleições para os Legislativos estaduais e nacional do país.

Taylor Small, 26, foi eleito à Câmara dos Representantes (equivalentes a deputados) do Estado de Vermont. Em Nova York, Ritchie Torres e Mondaire Jones serão os primeiros negros abertamente LGBT do Congresso americano. E, em Oklahoma, Mauree Turner se tornou a primeira pessoa não-binária a conquistar um assento no Legislativo estadual.

Enquanto isso, o republicano Madison Cawthorn, 25, venceu na Carolina do Norte e será o primeiro representante do Congresso nascido na década de 1990.

Outra candidata bem-sucedida a chamar a atenção nas últimas horas foi Marjorie Taylor Greene, de 46 anos, da Geórgia.

Ela foi rotulada pela mídia dos Estados Unidos como "a primeira legisladora a apoiar abertamente a teoria da conspiração QAnon".

Em resumo, QAnon é uma ideia ampla e infundada que diz que o atual presidente Donald Trump está travando uma guerra secreta contra a elite dos "pedófilos adoradores de Satanás" no governo, nos negócios e na mídia.

Greene, no entanto, se distanciou das alegações sobre o QAnon em uma entrevista à Fox News em agosto deste ano.

Ao comentar os resultados, ela destacou que quebrou outro recorde, ao se tornar a primeira mulher a representar o noroeste da Geórgia no Congresso americano.

Para fechar a lista, o astronauta Mark Kelly teve uma campanha bem-sucedida e foi eleito ao Senado pelo Estado do Arizona.

Curiosamente, ele não é o primeiro a conseguir o feito: em 1974, o ex-senador (e ex-astronauta) John Glenn foi eleito por Ohio e ficou no cargo até 1999.