Eleições: 5 candidatos ficaram R$ 320 milhões mais ricos desde 2018; saiba quem são

Patrimônio de candidatos: Levantamento foi realizado pelo Drive, com base nos dados informados ao TSE (Getty Images)
Patrimônio de candidatos: Levantamento foi realizado pelo Drive, com base nos dados informados ao TSE

(Getty Images)

  • Os cinco candidatos à eleição que mais enriqueceram desde 2018 somam R$ 320 mi a mais nas contas;

  • Quatro dos cinco têm, atualmente, algum mandato;

  • José Gomes (PP-DF) foi o que teve a maior evolução patrimonial, aumentando a fortuna em R$ 95 mi.

Os cinco candidatos que concorrem às eleições deste ano que mais enriqueceram desde 2018 somaram R$ 320 milhões a mais do que declararam há 4 anos. O levantamento foi realizado pelo Drive, com base nos dados informados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de quem declarou montantes em ambos os anos.

Quatro dos cinco têm, atualmente, algum mandato, sendo 1 deputado distrital, 1 federal, 1 governador e 1 vice-governador. José Gomes (PP-DF) foi o que teve a maior evolução patrimonial, com R$ 95 milhões a mais. Atualmente, ele é deputado distrital e concorre a deputado federal. Em seguida, aparece:

  • Eunício Oliveira (MDB-CE): Sem mandato. Candidato a deputado federal;

  • Romeu Zema (Novo-MG): Governador. Candidato à reeleição;

  • Zé Jodan (PSC-RO): Vice-governador. Candidato à deputado estadual;

  • José Nelto (PP-GO): Deputado federal. Candidato à reeleição.

Veja abaixo a comparação financeira entre 2018 e 2022 de cada candidato:

Candidato

Tinha em 2018

Têm em 2022

Variação

José Gomes (PP-DF)

R$ 34 milhões

R$ 129 milhões

+ R$ 95 milhões

Eunício Oliveira (MDB-CE)

R$ 89 milhões

R$ 158 milhões

+ R$ 69 milhões

Romeu Zema (Novo-MG)

R$ 70 milhões

R$ 130 milhões

+ R$ 60 milhões

Zé Jodan (PSC-RO)

R$ 46 milhões

R$ 102 milhões

+ R$ 56 milhões

José Nelto (PP-GO)

R$ 8 milhões

R$ 49 milhões

+ R$ 41 milhões

O que dizem os candidatos?

Procurados pelo portal Poder360, os candidatos citados no top 5 do levantamento justificaram o aumento de suas fortunas. Confira na íntegra o que cada um disse:

José Gomes (PP-DF)

José Gomes começou a trabalhar aos 15 anos na empresa de seu pai, formou-se em Administração de Empresas e aos 26 abriu sua própria empresa, numa sala alugada. Dez anos depois, era o maior gerador de empregos e pagador de impostos do Distrito Federal, com mais de 10 mil empregados. Seu patrimônio, adquirido até 2018 e declarado naquele ano, é fruto desses anos de trabalho. Ao se eleger deputado distrital, José Gomes se desfez de cotas da empresa e diversificou seus investimentos”;

Eunício Oliveira (MDB-CE)

Ainda bem que eu estou fora da política, né? Se eu estivesse na política, vocês iam achar que foi por causa da política. Talvez porque eu esteja fora da política eu tenha tido tempo de me dedicar às minhas coisas. E eu recebi também ações de uma ação de transporte de valores que eu vendi para espanhóis, parte dela. O valor que está declarado é a verdade”;

Romeu Zema (Novo-MG)

O incremento no patrimônio de Romeu Zema ocorreu antes do início do atual mandato. Ainda em 2018, duas empresas que atuam no ramo de combustíveis e que eram do Grupo Zema, foram vendidas para uma companhia francesa de energia, por aproximadamente R$ 380 milhões. Romeu Zema tinha participações em ambas empresas vendidas e recebeu recursos, como Pessoa Física, de aproximadamente R$ 10 milhões. Além disso, em uma das empresas, ele detinha 27,14% da participação acionária. Quando houve a divisão da venda, a parte da cota destinada a ele foi de aproximadamente R$23 milhões. Esses recursos foram direcionados à empresa de varejo da família e fundos de investimento. O restante da ampliação dos bens é proveniente valorização das empresas do grupo que segue conquistando mercado através de uma gestão que é reconhecida no setor como exemplar. Cabe ainda ressaltar que todo o patrimônio de Romeu Zema é fruto de mais de 30 anos de trabalho e gestão, estando exposto em suas declarações anuais à Receita Federal e, bem como, ao Tribunal Superior Eleitoral, cumprindo a legislação nacional”;

Zé Jordan (PSC-RO)

“Disse que seu patrimônio está todo declarado e que nada foi omitido. O aumento em 4 anos teria relação com a valorização de terras”;

José Nelto (PP-GO)

Eu recebo os meus rendimentos de 10 empresas que eu tenho. Aí eu comprei uma propriedade no Tocantins para pagar em 5 anos, 6 anos parcelado. Eu tive que declarar, não vou mentir. Tudo dentro da lei, tudo dinheiro da iniciativa privada. E comprei parcelado, eu tive que declarar o valor real dela. Não posso mentir para a Receita Federal. Agora, outros deputados tem bilhões e bilhões mais do que eu. É só porque eu comprei ela parcelada e coloquei. Podia ter colocado R$ 10 milhões só, porque eu só paguei R$ 10 milhões. Podia ter colocado o restante lá para a frente, mas o valor que eu comprei foi esse. Eu tinha R$ 8 milhões de aplicações. Aí arrumei mais 10 [milhões] em aplicações. O outro restante eu estou parcelando. A fazenda é R$ 32 milhões. Aliás, R$ 30 milhões, a fazenda. Aí o restante é pagamento em 5 anos”.