Eleitora de Lula chega no fim da votação e dá vitoria ao petista por um voto em seção de Porto Alegre

Uma apoiadora de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou na sua seção eleitoral às 16h55, cinco minutos antes do encerramento das votações, em Porto Alegre, e os mesários brincaram: “Seu voto vai fazer a diferença”. O que eles não esperavam é que esse comentário fosse fazer tanto sentido. Naquela seção, na Escola Estadual São Francisco de Assis, Lula (PT) venceu o candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) por um voto. O boletim de urna mostra 160 votos para Lula (PT) contra 159 para Bolsonaro (PL).

A história foi compartilhada por Ana Carolina Ramos, presidente da seção 223 da 2ª Zona de Porto Alegre. Segundo ela, a mulher que estava com uma roupa vermelha e com alguns adesivos de Lula (PT) chegou na escola às 16h55, esbaforida e relatando que havia trabalhado, pegado um ônibus e um carro de aplicativo para conseguir chegar a tempo e exercer o seu direito ao voto.

— Queríamos valorizar o esforço dela ter ido votar e ter demonstrado que fazia muita questão daquilo, por isso falamos que o voto dela faria a diferença — contou Ana Carolina ao EXTRA.

A presidente da seção, no entanto, faz questão de dizer que o comentário para a eleitora não teve relação com o candidato apoiado por ela.

— Não foi pelo fato de ser uma eleitora do Lula que dissemos isso. Se fosse uma eleitora do Bolsonaro e estivesse de verde e amarelo, ou até se estivesse com uma roupa neutra, sem manifestar nada, iríamos dizer a mesma coisa. Falamos aquilo para valorizar o esforço dela em ter ido votar, mesmo chegando no final. Acabou convindo que o voto dela fez diferença para o candidato escolhido por ela. — comentou.

Casos semelhantes aconteceram ao longo do dia, ela relembra.

— Como aconteceu ao longo do dia também. Teve uma eleitora que esqueceu o documento em casa e a cumprimentamos por ter voltado porque ela disse que fazia questão de votar e outras situações do tipo. Contudo, por essa outra situação ter sido bem no final do dia e pela eleitora ter declarado voto em um candidato que venceu com a diferença de um voto foi muito simbólico. —, acrescentou.

— Queria que ela soubesse que valeu a pena ter ido votar. Quem sabe essa história chega nela de alguma maneira? —, concluiu Ana Carolina.