Eleitora procura presidente, não casamento, diz Bolsonaro sobre rejeição entre mulheres

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  06-07-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro recebe os atletas que representaram o Brasil na 19ª edição da Gynminasíade, competição realizada na França esse ano com estudantes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 06-07-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro recebe os atletas que representaram o Brasil na 19ª edição da Gynminasíade, competição realizada na França esse ano com estudantes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) minimizou a alta rejeição que enfrenta entre os eleitores do sexo feminino, tendência nas pesquisas de intenção de voto. Disse que as mulheres procuram "um presidente", "não um casamento".

A fala aconteceu nesta quarta-feira (13), em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada. O presidente permaneceu cerca de 45 minutos no local.

Bolsonaro comentou o caso do médico anestesista que foi preso ao ser flagrado cometendo crime de estupro contra uma mulher inconsciente, em cirurgia de cesárea. O chefe do Executivo sinalizou que defende as mulheres e relembrou que buscou transformar em crime hediondo o estupro, quando cometido por adolescentes, e que a esquerda barrou a proposta.

Em seguida, deixou o tom grave de lado e afirmou em tom mais brincalhão:

"Pessoal fala que eu não defendo, que eu tenho uma rejeição de mulher. Não sei se é verdade ou não. Acho que a eleitora não está procurando um casamento, está procurando um presidente", afirmou Bolsonaro, dando risada.

"Eu sei que nós não vivemos sem elas e nem sobrevivemos", completou, aumentando o clima de descontração e ouvindo depois de uma apoiadora que era ainda mais bonito pessoalmente.

Pesquisa Datafolha divulgada em junho mostrou que 55% dos eleitores não votariam em Jair Bolsonaro de jeito nenhum. Entre as mulheres, a rejeição é de 61%.

Como uma forma de diminuir a sua rejeição entre as mulheres, a campanha à reeleição do presidente tem apostado em uma maior participação da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, considerada carismática e com potencial para humanizar a imagem do chefe do Executivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos