Eleitores voláteis de Ciro tendem a Lula, e os de Tebet se dividem, aponta Datafolha

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Eleitores que declaram voto em Ciro Gomes (PDT) e em Simone Tebet (MDB), mas não estão plenamente convictos da escolha, têm padrões de comportamento diferentes quando questionados pelo Datafolha sobre qual outro candidato teria mais chance de receber seu apoio.

Ciro, com 9%, e Tebet, com 5%, são os nomes que mais pontuaram depois de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) na pesquisa divulgada pelo instituto nesta quinta (1º) sobre a disputa presidencial.

Ambos são os candidatos com mais força que restaram da chamada terceira via, a busca de uma alternativa a Lula e Bolsonaro, que polarizam as preferências desde o início de 2021, quando o petista teve suas condenações anuladas e voltou ao jogo eleitoral.

A margem de erro do levantamento, feito de terça (30) a quinta-feira, é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O Datafolha ouviu 5.734 eleitores em 285 municípios. A pesquisa, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00433/2022.

Dos eleitores de Ciro, 57% admitem que o voto ainda pode mudar até a data do primeiro turno, em 2 de outubro. Essa fatia, questionada sobre o candidato para o qual migraria, divide-se entre Lula (35%), Bolsonaro (24%), Tebet (10%) e branco ou nulo (10%).

Os percentuais são semelhantes ao da pesquisa anterior, de 18 de agosto. Cerca de 15 dias atrás, 34% dos eleitores voláteis do pedetista iriam para o petista, 20% para o presidente e 6% para a senadora.

Entre os 48% de eleitores de Tebet que admitem repensar a escolha, a situação é mais pulverizada: 27% respondem que, se não votarem na emedebista, optarão por Ciro. O ex-ministro era a escolha de 32% na rodada anterior. Outra parcela, de 21%, responde agora que iria para Lula -antes essa fatia era de 25%.

A maior diferença se deu entre os que escolheriam Bolsonaro. Em agosto, apenas 6% dos eleitores de Tebet pouco convictos apoiariam o atual mandatário. Agora, são 20%.

Nesta pesquisa, 8% dos eleitores de Tebet declaram branco e nulo como segunda opção de voto.

Segundo turno A avaliação de como partidários de Ciro e Tebet se comportariam no eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro ajuda a entender as características dos que estão hoje com o ex-ministro e com a senadora.

Segundo o instituto, o petista lidera as preferências no embate direto, com 53%, ante 38% do rival.

Dos eleitores de Ciro, 48% respondem que escolheriam Lula, enquanto 27% iriam para Bolsonaro e 24% votariam em branco ou nulo. Em 18 de agosto, a distribuição era semelhante. Os que declaravam voto no ex-ministro no primeiro turno iriam para Lula (49%), Bolsonaro (24%) e brancos e nulos (23%).

No caso de Tebet, a nova pesquisa mostra que a opção predominante, caso se confirme a competição entre Lula e Bolsonaro na segunda rodada, é pelo voto em branco ou nulo: 39%. Outros 32% ficariam com o petista, e 28% com o atual mandatário. No mês passado, os partidários da senadora assim se dividiam: 39% votariam em Lula, 37% anulariam ou marcariam voto em branco e 24% iriam de Bolsonaro.

Os percentuais significativos dos que falam que votariam nulo ou branco sugerem a aversão de parte dos eleitores de Tebet aos dois protagonistas do pleito e o descontentamento com o antagonismo entre eles.