'Eles tem que ser presos e pagar pelo que fizeram', diz mãe de Patricia Amieiro após Justiça aceitar recurso para novo julgamento de PMs

Gisele Barros
·1 minuto de leitura

Os pais da engenheira Patricia Amieiro, morta em junho de 2008, celebraram o recurso aceito pela Justiça do Rio, que pedia para que os policiais militares acusados do homicídio fossem submetidos a novo julgamento. No requerimento, Alexandre Dumans utilizou como um dos argumentos surgimento do depoimento de uma testemunha, em setembro do ano passado, que afirma ter visto a vítima viva e baleada dentro de seu carro. Em dezembro de 2019, os PMs foram absolvidos da acusação de homicídio. Dois deles foram condenados apenas pelo crime de fraude processual.

— Eu peço as autoridades que estão com o caso da minha filha que olhem com bastante carinho o nosso caso e que seja marcado logo um novo julgamento. Essa testemunha contou que minha filha estava viva e eles acabaram com a vida dela. Ela poderia estar aqui hoje conosco. Deusa sabe. Eles tem que ser presos, tem que ser feita Justiça. É o pedido de uma mãe que sofre há 12 anos. Eles tem que ser presos e pagar pel oque fizeram com a minha filha — ressaltou a mãe de Patricia, Tânia Amieiro.