Eletrobras avalia candidatos a CEO, mas Casa Civil baterá martelo, diz conselheiro

·1 minuto de leitura
Wilson Ferreira Jr, ex-CEO da Eletrobras e conselheiro

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal Eletrobras contratou uma consultoria e criou comissão interna para apoiar a escolha de um novo presidente-executivo, mas o nome que resultar do processo será submetido à palavra final da Casa Civil do governo federal, disse nesta segunda-feira o ex-CEO da empresa, Wilson Ferreira Jr.

"O processo de sucessão está avançado, já fizemos diversas entrevistas... várias pessoas foram consideradas", afirmou ele, que ainda é conselheiro da companhia, durante teleconferência com investidores e analistas sobre os resultados de 2020.

Ferreira, que deixou o comando da elétrica em 15 de março para assumir a presidência da BR Distribuidora, não deu mais informações sobre o processo e nem citou nomes de entrevistados.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse na semana passada que ele e o presidente Jair Bolsonaro têm avaliado nomes para assumir a chefia da elétrica estatal.

Ferreira ainda disse, após pergunta de um analista, que apoia atual proposta do governo para a privatização da Eletrobras, entregue ao Congresso na forma de medida provisória (MP).

O questionamento veio após o relator da MP, deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), ter afirmado que pode apresentar uma proposta alternativa para a desestatização em seu relatório, segundo notícias na imprensa.

"Fizemos um estudo bastante abrangente de todas alternativas... a melhor alternativa, a que de fato é a que cria mais valor para o Brasil, é essa que a gente tem na MP, não tenho dúvida", disse Ferreira.

"Eu acredito, sinceramente, que a gente vai caminhar no sentido da proposta que foi apresentada. Evidentemente, com as contribuições do Congresso", acrescentou.

(Por Luciano Costa)