Elizabeth 2ª: quem vai ficar com os cachorros corgi da rainha

Uma foto divulgada em 4 de fevereiro de 2022 em Londres, e tirada em janeiro, mostra Elizabeth 2ª acariciando Candy, sua dorgi, enquanto ela observa uma exposição de recordações de seus jubileus de ouro e platina no Castelo de Windsor
A rainha, fotografada em janeiro de 2022, com Candy, um cruzamento de dachshund com corgi

Os famosos cães corgis da rainha Elizabeth 2ª vão morar com um dos seus filhos, o príncipe Andrew, e sua ex-esposa, Sarah, confirmou a BBC.

O duque e a duquesa de York vão assumir a criação de Muick (pronuncia-se "Mick") e Sandy — dois jovens corgis que o príncipe e suas filhas haviam dado de presente à rainha em 2021.

A rainha também tinha um dorgi — cruzamento entre um dachshund e corgi — chamado Candy, com o qual ela foi fotografada em janeiro.

Elizabeth 2ª teve mais de 30 corgis ao longo da vida.

A associação era tão forte que as pessoas quase imediatamente começaram a perguntar quem adotaria os animais.

Uma fonte próxima ao príncipe Andrew disse à BBC: "Os corgis vão voltar a viver no Royal Lodge com o duque e a duquesa. Foi a duquesa quem encontrou os filhotes que foram presenteados à Sua Majestade pelo duque".

"A duquesa criou um vínculo com Sua Majestade ao levar os cachorros para passear e andar a cavalo, e mesmo depois do divórcio, ela continuaria sua grande amizade com Sua Majestade, levando os cães para passear em Frogmore e batendo papo."

Royal Lodge, uma mansão no terreno da propriedade de Windsor, é a casa do príncipe Andrew e sua ex-esposa, e Frogmore é uma propriedade próxima ao Castelo de Windsor.

O duque, de 62 anos, e suas filhas Beatrice e Eugenie, deram inicialmente Muick e outro filhote chamado Fergus de presente à rainha na última primavera. O objetivo era levantar o ânimo da monarca enquanto seu marido, o falecido príncipe Philip, estava no hospital, e em meio ao isolamento imposto pela pandemia de covid-19.

Uma foto em preto e branco de 1966 do príncipe Andrew, um menino de meias até o joelho, incentivando um relutante corgi real a deixar o trem na estação de Liverpool Street, em Londres
O príncipe Andrew e os corgis têm uma relação de longa data (Foto de 1966)

Muick, que se pronuncia "Mick", é um corgi — e recebeu este nome em homenagem ao Loch Muick, um lago na propriedade real de Balmoral, na Escócia.

Fergus, um dorgi, ganhou o nome do tio materno da rainha, o capitão Fergus Bowes-Lyon, que foi morto em ação durante a Primeira Guerra Mundial. O filhote morreu em maio com apenas cinco meses, supostamente devido a um problema cardíaco. Acredita-se que a rainha ficou arrasada na época.

O príncipe Andrew deu a ela então outro filhote de corgi, Sandy, em seu aniversário oficial de 95 anos.

A estilista, assistente pessoal e amiga de longa data da rainha, Angela Kelly, disse recentemente que os recém-chegados tinham se revelado uma "alegria constante" e "sempre colocavam um sorriso no rosto de todos".

Presente de aniversário de 18 anos

A rainha era uma entusiasta criadora de corgi — e teve mais de 30 corgis e dorgis ao longo de seis décadas. Muitos eram descendentes de Susan — a cadela que ela ganhou de presente de aniversário de 18 anos do pai em 1944.

O programa de reprodução da residência real terminou há vários anos, no entanto — dizia-se que a rainha não estava disposta a deixar filhotes para trás quando morresse.

Há especulações de que o príncipe Andrew, sabendo disso, pode ter assegurado à mãe que cuidaria dos cães se fosse necessário.

O príncipe e a ex-mulher permanecem muito próximos desde o divórcio em 1996, então o envolvimento dela não é uma surpresa.

A duquesa disse que a rainha havia sido "a sogra e amiga mais incrível" e que sentiria falta dela "mais do que as palavras podem expressar".

- Este texto foi publicado em http://bbc.co.uk/portuguese/internacional-62875008