Elize Matsunaga crê que já foi perdoada por marido que assassinou

Elize Matsunaga deixou a prisão em São Paulo - Foto: Reprodução/Netflix
Elize Matsunaga deixou a prisão em São Paulo - Foto: Reprodução/Netflix
  • Elize Matsunaga disse acreditar que Marcos Matsunaga já a perdoou "espiritualmente"

  • O empresário foi assassinado e esquartejado pela esposa em maio de 2012

  • Ela recebeu liberdade provisória e deixou a cadeia de Tremembé-SP na última segunda

Em liberdade condicional após decisão da Justiça de São Paulo, Elize Matsunaga deu suas primeiras declarações após deixar a Penitenciária de Tremembé, no interior do estado, na última segunda-feira.

A mulher de 40 anos afirmou que pede, em orações, para que seja perdoada pelo marido, o empresário Marcos Matsunaga, após assassiná-lo em maio de 2012.

“Infelizmente, não posso consertar o que passou, o erro que cometi. Estou tendo uma segunda chance, infelizmente o Marcos não. Mas acredito, na espiritualidade, que ele já tenha me perdoado e peço isso todas as vezes em minhas orações”, declarou.

Elize explicou que não pode dar entrevistas por causa de um contrato e do livro que está escrevendo, mas deu breves declarações em vídeos publicados por seu advogado Luciano Santoro no Instagram.

“Cumprindo uma nova etapa, ciente das minhas obrigações, sem voltar para aquele lugar, sem cometer mais nenhum delito, graças a Deus. Agradeço a todos que me apoiaram, que me incentivaram”, disse.

A bacharel em direito foi solta após a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) cumprir o alvará expedido pela Justiça, 10 anos depois de ter sido presa por assassinar, esquartejar e esconder o corpo de Marcos Matsunaga, empresário herdeiro da indústria de alimentos Yoki.

Condenada a 19 anos e 11 meses de prisão, ela teve a pena reduzida para 16 anos e três meses em 2019. Com a decisão da Justiça, vai cumprir o restante do tempo em liberdade.

“Muito feliz mesmo de ter vencido essa etapa. Sei que terão outras, com obrigações diferentes, mas estou muito feliz”, declarou. “Vamos para mais um período, uma nova faculdade, um livro para escrever…”.

Elize quer publicar autobiografia

Elize Matsunaga quer publicar um livro autobiográfico intitulado “Piquenique no Inferno”, que foi escrito à mão na prisão, com o objetivo de pedir perdão à filha. Ela está impedida de ver a menina desde 2012.

A esperança é de que a garota, hoje com 11 anos, leia o livro quando for adulta e entenda sua versão do crime. Nas páginas, Elize conta sua origem humilde, como foi vítima de violência sexual na adolescência e, depois, de violência doméstica quando se casou.

Hoje, a guarda da criança é dos avós paternos, que proíbem a menina de ver a mãe.

O crime ocorreu no dia 19 de maio de 2012 no apartamento do casal, na Zona Oeste de São Paulo. O caso ganhou fama, já que envolvia o empresário herdeiro da indústrias de alimentos Yoki. Ele tinha 42 anos à época e ela, 30.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos