Eliziane Gama articula lançar-se a vice do Senado com apoio da bancada feminina

BRASILIA, DF,  BRASIL,  05-01-2023, 12h00:A senadora Eliziane Gama. A Ministra do Planejamento Simone Tebet, ao lado do ex presidente Sarney, do vice presidente Geraldo Alckmin e vários ministros do governo Lula, durante sua cerimônia de posse no Ministério do Planejamento. No Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) ORG XMIT: AGEN2301051239631906
BRASILIA, DF, BRASIL, 05-01-2023, 12h00:A senadora Eliziane Gama. A Ministra do Planejamento Simone Tebet, ao lado do ex presidente Sarney, do vice presidente Geraldo Alckmin e vários ministros do governo Lula, durante sua cerimônia de posse no Ministério do Planejamento. No Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) ORG XMIT: AGEN2301051239631906

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) está costurando junto à bancada feminina sua candidatura para a primeira vice-presidência do Senado.

Segundo ela, a última vez que a bancada lançou um nome para Mesa Diretora foi há dez anos, com a ex-senadora Marta Suplicy, então no PT.

Eliziane está buscando apoio de outros partidos, já que os 12 votos de senadoras não são suficientes para elegê-la. Geralmente, a eleição no Senado se dá de maneira consensual para todos os cargos, como uma chapa. Mas caso não consiga, não descarta lançar o seu nome avulso.

Estão postas hoje duas candidaturas à presidência da Casa: a de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e a de Rogério Marinho (PL-RN). Líderes do PL, no entanto, admitem brigar pela primeira-vice em uma chapa com Rodrigo caso Marinho não se viabilize.

Eliziane se destacou durante a CPI da Pandemia, em atuação com outras senadores. Nas eleições de 2022, seu nome chegou a ser cotado para concorrer como vice do ex-governador João Doria. Ela acabou apoiando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e auxiliando no diálogo com os evangélicos.