Elon Musk estaria usando a guerra na Ucrânia para desistir do Twitter

A defesa do Twitter apresentou uma suposta troca de mensagens entre musk e um banqueiro (Getty Image)
A defesa do Twitter apresentou uma suposta troca de mensagens entre musk e um banqueiro (Getty Image)
  • Elon Musk e o Twitter travam uma disputa judicial

  • Bilionário alega que desistiu de compra por causa dos bots

  • Acusação apresenta novas provas contra o empresário

O homem mais rico do mundo parece estar disposto a utilizar todos os argumentos que encontrar para não precisar completar a aquisição do Twitter, mas a empresa não pretende dar o braço a torcer tão fácil.

Agora, os advogados da rede social estão apresentando mensagens de texto de Elon Musk para tentar convencer a Justiça de que o bilionário já queria abandonar seu acordo de US$ 44 bilhões para adquirir a empresa por remorso, de acordo com a Bloomberg.

A defesa do bilionário tem utilizado a estratégia de dizer que a compra não foi concluída por causa da quantidade de bots e spams na plataforma, o que poderia levar a uma decisão favorável para o dono da Tesla.

Mas, com novas provas apresentadas, a batalha judicial pode ficar mais difícil. Bill Savitt, advogado do Twitter, apresentou uma suposta mensagem de texto trocada entre Musk e um banqueiros. Nela, o empresário pede uma desaceleração do processo de acordo até que o presidente russo, Vladimir Putin, fizesse um discurso no dia seguinte, durante o qual Putin defendeu a decisão de invadir a Ucrânia.

“Não fará sentido comprar o Twitter se estamos entrando na Terceira Guerra Mundial”, escreveu Musk. O problema é que ele já havia concordado em comprar o Twitter por US$ 44 bilhões duas semanas antes.

A audiência desta terça-feira (6) teve como objetivo julgar o pedido de Musk para adiar o julgamento, agora marcado para 17 de outubro, depois as alegações de um denunciante de que o Twitter enganou investidores sobre contas de spam e bots.