Entenda por que Elon Musk não gostou da série 'Anéis do Poder'

Musk disse não ter gostado que homens da série
Musk disse não ter gostado que homens da série "Os Anéis de Poder" não são "corajosos", "inteligentes" ou "legais" (Photo by Carina Johansen/NTB/AFP via Getty Images)
  • Musk disse não ter gostado que homens da série não são "corajosos", "inteligentes" ou "legais";

  • Sua voz se uniu a de centenas de pessoas que criticam a série por ser "muito inclusiva";

  • Neil Gaiman opinou sobre a fala de Musk a pedido de um fã.

Elon Musk, o homem mais rico do mundo, parece não ter gostado da nova série da Amazon Prime Video, baseada em obras de J. R. R. Tolkien como O Senhor dos Anéis e O Silmarillion. Em sua conta no Twitter, o bilionário afirmou que "Tolkien está se revirando em seu túmulo" por conta da série “Os Anéis de Poder”.

Um dos principais pontos de contenção do bilionário com a história da série é a falta de personagens homens heróicos, no sentido moderno da palavra. “Quase todos os personagens masculinos são covardes, idiotas ou ambos. Apenas Galadriel é corajosa, inteligente e legal”.

A voz de Musk é uma das centenas de críticas em torno da produção da nova série de Senhor dos Anéis. Antes mesmo de ser lançada, muitas pessoas já se posicionavam contra decisões executivas da série, como a escolha da história e do elenco.

Assim que lançada, muitos desses críticos se uniram para realizar a prática de review bombing, quando um grupo de pessoas se une para dar notas baixas à produção em todas plataformas de avaliação online. Com a análise Musk, muitos se sentiram justificados por terem uma personalidade influente subscrevendo a sua opinião.

No entanto, um dos melhores momentos de todo esse drama se deu quando um usuário perguntou a Neil Gaiman o que ele achava sobre a opinião de Musk. Gaiman é um dos autores de quadrinhos mais famosos da atualidade e criador de Sandman, que foi recentemente adaptado para a TV pela Netflix.

Gaiman apenas respondeu que Elon Musk não o pede conselhos na hora de fracassar na compra do Twitter, então ele não pede conselhos a Musk sobre crítica literária ou cinematográfica.