Elon Musk passa a disponibilizar Wi-Fi através da Starlink

O sistema da companhia de Elon Musk registrou uma capacidade de transmissão que ultrapassa 100 megabits por segundo (Getty Image)
O sistema da companhia de Elon Musk registrou uma capacidade de transmissão que ultrapassa 100 megabits por segundo (Getty Image)
  • Empresa de Elon Musk quer apostar na internet a bordo de aviões

  • Starlink realizou um voo teste com com cerca de uma dúzia de pessoas

  • A premissa da companhia é fornecer banda larga em áreas remotas do planeta

A empresa de internet de Elon Musk deu mais um paço para conquistar espaço no mercado: desta vez, a Starlink realizou um movimento para se apoderar dos provedores de satélite Intelsat e Viasat, que já estão presentes no setor aéreo.

Em um voo de teste JSX, com cerca de uma dúzia de pessoas a bordo, o sistema da companhia registrou uma capacidade de transmissão que ultrapassa 100 megabits por segundo, de acordo com a medição realizada pelo aplicativo Ookla, que testa velocidades de internet.

O movimento faz parte da proposta da Starlink para fornecer banda larga de qualidade em áreas remotas do planeta. A companhia, parte da Space Exploration Technologies, de Musk, oferece a opção de uma banda larga a partir de uma constelação com um conjunto de mais de 3 mil pequenos satélites que circundam o planeta em 90 a 120 minutos em uma órbita baixa.

Eles dão a volta ao planeta em 90 a 120 minutos. A tecnologia desvia prática estabelecida de usar algumas naves espaciais poderosas em órbitas mais altas e mais lentas.

No entanto, os satélites têm pouca largura de banda e não são capazes capazes de lidar com o tráfego da Internet de passageiros em aviões muito lotadas. Ou seja, na teoria, o serviço opera melhor em aeronaves menores.

Mesmo assim, a empresa afirmou que está apta a atender aeronaves de todos os tamanhos, citando um acordo com a controladora da Hawaiian Airlines para prover internet grandes aviões Airbus e Boeing.