Elon Musk tem 'mau pressentimento', pausa contratações na Tesla e planeja demitir 10% dos funcionários

O dono da Tesla, Elon Musk, disse que a fabricante de carros elétricos precisa demitir aproximadamente 10% da equipe, porque ele tem um "enorme mau pressentimento" sobre a economia, em um e-mail a que a Reuters teve acesso e citado pela Bloomberg. Na mesma semana, outro e-mail atribuído ao bilionário circulou nas redes sociais, cujo texto era enfático ao dizer à equipe executiva da Tesla que quem não retornasse ao trabalho presencial poderia ir embora.

Elon Musk: Entenda o papel do bilionário na disputa judicial entre Johnny Depp e Amber Heard

Musk no Brasil: CEOs fizeram até selfie, mas reclamaram de 'conversa fiada'

Acordo da venda: Elon Musk diz que compra do Twitter por US$ 44 bi está 'temporariamente suspensa'

A mensagem, intitulada "pausem as contratações no mundo todo", foi enviada aos executivos da Tesla nesta quinta-feira, de acordo com a reportagem.

A Tesla, que possui fábricas nos Estados Unidos, na China e na Alemanha, emprega por volta de 99.290 pessoas em todo o mundo. Então, o corte de 10% dos funcionários equivale a aproximadamente 10 mil pessoas.

A filial em Austin, no Texas, chegou a cortar a força de trabalho em 7% - mais de 300 empregos - no começo de 2019.

As ações da Tesla caíram em 4,8% no começo da manhã na Bolsa de Nova York e devem impactar todo o mercado americano. Representantes da empresa não responderam a um pedido de posicionamento sobre o assunto feito nesta sexta-feira.

A ansiedade da economia global acerca do impacto da onda de Covid-19 na China e os lockdowns em Xangai, onde a Tesla possui uma fábrica, também pesaram na decisão de Musk.

Operação indireta: SpaceX, de Elon Musk, vai lançar satélites brasileiros

A decisão acontece em meio a um momento turbulento vivido por Musk e pela fabricante de carros elétricos. As ações da Tesla despencaram 22% desde que o bilionário anunciou o acordo para a compra do Twitter.

Queda nas vendas

Analistas disseram nesta quinta-feira que a queda nas vendas de carros novos nos EUA está alimentando temores de uma possível recessão.

Ainda nesta semana, Musk gerou um debate ao dizer aos executivos da empresa que poderiam ir embora caso não quisessem retornar ao trabalho presencial.

"Quanto mais alto seu cargo, mais visível deve ser a sua presença", escreveu o empresário, certificando-se de que os funcionários deveriam "ficar nos escritórios por pelo menos 40 horas semanais".

"É por isso que eu 'morava' na fábrica. Assim, aqueles na linha de produção me veriam trabalhando junto com eles. Se eu não tivesse feito isso, a Tesla teria falido há muito tempo", disse Musk.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos