Em 2021, Bolsonaro prometeu: 'Se for voto eletrônico, Brasil também terá capitólio'

Ex-presidente fez declaração ao comentar invasão do Capitólio americano em 6 de janeiro de 2021

Jair Bolsonaro afirmou em 2021 que haveria situação como a do Capitólio dos EUA no Brasil (REUTERS/Ueslei Marcelino)
Jair Bolsonaro afirmou em 2021 que haveria situação como a do Capitólio dos EUA no Brasil (REUTERS/Ueslei Marcelino)

Jair Bolsonaro (PL), então presidente do Brasil, avisou em 2021: haveria situação semelhante à do Capitólio dos Estados Unidos em território brasileiro. Bastaria que os votos fossem eletrônicos. A promessa ou prenúncio do ex-presidente, hoje viajando pelos EUA, onde está internado, foi feito em 7 de janeiro de 2021, um dia após a invasão do prédio do governo norte-americano.

Você pode ler a reportagem completa que o Yahoo Notícias fez sobre a fala clicando aqui.

Mas vamos ao que disse Jair Bolsonaro naquele 7 de janeiro de 2021. Para Bolsonaro, a situação nos Estados Unidos aconteceu por falta de confiança no sistema de votação norte-americano. E, para ele, era lógico que isso também aconteceria no Brasil.

“Pessoal tem que analisar o que aconteceu nas eleições americanas agora. Basicamente, qual foi o problema, a causa dessa crise toda: falta de confiança no voto". O ex-presidente, à época, pediu investigações, mas não repudiou os atos.

"Então, lá, o pessoal votou e potencializaram o voto pelos correios por causa da tal da pandemia e houve gente lá que votou três, quatro vezes, mortos votaram, foi uma festa lá. Ninguém pode negar isso daí”, afirmou ele ao comentar efetivamente as invasões.

“A confiança levou a esse problema que aconteceu lá. E aqui no Brasil, se tivermos o voto eletrônico em 2022, vai ser a mesma coisa. A fraude existe", finalizou ele à época, sem apresentar nenhuma prova de fraude — esse comportamento foi modus operandi dele durante a campanha.

Na época Bolsonaro foi cobrado por demorar para comentar os atos nos EUA. Mas a demora foi esperada. Alinhado a Donald Trump, ele também foi um dos últimos líderes mundiais a parabenizar Biden pela vitória.

Voltando para 2023, Flávio Dino, ministro da Justiça, cravou que as invasões no Brasil 'foram nosso episódio do Capitólio'. Foi na coletiva da segunda (9 de janeiro de 2023) que o ministro da Justiça afirmou: "Nós vimos a manifestação de um ódio às instituições que foram tão duramente atacadas nos últimos anos. Vimos a materialização do discurso de ódio que não era anedótico, como alertamos nesses anos todo. Palavras têm poder e essa palavras se transformaram em ódio e destruição. Não tenho dúvidas que nós vivemos ontem o Capitólio brasileiro".

O Yahoo Notícias comparou os dois atos em números de presos. O Brasil simplesmente prendeu 15 vezes mais pessoas dos que os EUA se falarmos no dia dos próprios atentados. Em 24h, prendemos mais pessoas do que eles em dois anos, quase o dobro. Os números completos você pode analisar clicando aqui.

Pode acontecer uma CPI no Brasil sobre os atos? Sim. E deve acontecer, segundo boa parte de senadores brasileiros. Dos 27 votos necessários, um pedido feito já havia obtido 31. Os ritos devem ser iniciados em fevereiro e você pode entender mais clicando aqui.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostrar, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Análise do caos: a cientista política Deysi Cioccari analisa os ataques terroristas em Brasília, assista.