Em acordo com MG, Vale irá construir ala para atender pacientes com novo coronavírus

FERNANDA CANOFRE

FOLHAPRESS - Como parte das compensações pelos danos e perdas causados pelo rompimento da barragem na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), a Vale irá pagar R$ 5 milhões para a construção de uma ala para atender pessoas infectadas pelo vírus Sars-CoV-2, o novo coronavírus.

A ala será construída no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. O valor será considerado como reparação no julgamento final do processo sobre o desastre.

Com 420 dias de operações, os números oficiais são 259 mortos e 11 desaparecidos. As últimas identificações aconteceram em dezembro de 2019, cerca de um mês antes de o rompimento completar um ano.

Nesta quarta-feira, 47 bombeiros seguem trabalhando em 10 frentes de trabalho, com 12 equipes no local, segundo o Corpo de Bombeiros.

O acordo entre Estado e a mineradora foi homologado pelo juiz Elton Pupo Nogueira, da 2ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, seguindo pedido da AGE (Advocacia-Geral do Estado).