Em agenda, Paes reforça aposta no eleitorado feminino, 55% do total no Rio

Luiz Ernesto Magalhães
·2 minuto de leitura
Eduardo Paes (DEM) em atividade de campanha no dia 13 de outubro, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio: em vídeo, ele comemorou elogio de Bolsonaro a duas semanas da eleição
Eduardo Paes (DEM) em atividade de campanha no dia 13 de outubro, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio: em vídeo, ele comemorou elogio de Bolsonaro a duas semanas da eleição

Em uma campanha com seis mulheres na disputa pela prefeitura - entre as quais Martha Rocha (PDT) e Benedita da Silva (PT), que têm aparecido nas pesquisas com mais chances de conquistar uma vaga no segundo turno -, o candidato Eduardo Paes (DEM) tem concentrado boa parte das agendas na conquista do eleitorado feminino. Na tarde desta segunda-feira, ele participou de uma reunião com cerca de 50 eleitoras em uma casa em frente ao Hospital-Maternidade Mariska Ribeiro, em Bangu, que ele inaugurou quando era prefeito, em 2012:

— As mulheres têm seu protagonismo. E nas agendas, elas colocam mais as questões. Tenho feito o maior número possível de agendas com mulheres — disse Paes

A investida acontece como estratégia do candidato para manter o favoritismo entre as mulheres. De acordo com a última pesquisa Ibope, Paes aparece com 34% das intenções de voto nesse setor, seguido por Martha Rocha (PDT) com 13%, Marcel Crivella (Republicanos) com 12% e Benedita da Silva (PT) com 10%.

O candidato preferiu não comentar a declaração de Crivella, que mais cedo afirmou que o presidente Jair Bolsonaro só o elogiou numa live na semana passada, chamando-o de bom administrador, porque fazia parte de uma estratégia para evitar que Martha Rocha vá para o segundo turno:

— Não vejo Bolsonaro há algum tempo. Não faço a menor ideia (do motivo da declaração). O que agradeço é o elogio de bom administrador que o Bolsonaro me fez — disse Paes.

Como O GLOBO já mostrou, os candidatos à Prefeitura do Rio têm calibrado suas estratégias de campanha de olho no voto das mulheres, que representam 55% do eleitorado.

Na reunião Paes prometeu revitalizar o programa Saúde da Família com a recontratação de 6 mil pessoas demitidas na gestão carioca , o Cegonha Carioca e reformar maternidades. E ainda estruturar um Centro de Referência em Saúde da mulher para que procedimentos como mamografia e ultrassonografia possam ser feitos em 30 dias

— Quando se faz políticas públicas em áreas como saúde da Família; de educação em tempo integral; ou habitacional em que o imóvel sai em nome da mulher, isso mostra o protagonismo da mulher — disse Paes.