Em ato, servidores pedem que chefes do Legislativo e Judiciário mediem mesa de negociação sobre greve

Diversas categorias do serviço público federal também realizaram ato nesta quinta-feira, em defesa do reajuste salarial de 19,9% ao funcionalismo e pela reestruturação de planos de cargos e salários. Na paralisação, enviaram aos chefes do Legislativo e do Judiciário pedido para que mediem negociações entre o Executivo e as categorias em greve.

No mesmo dia, policiais federais organizaram atos em frente às superintendências estaduais em todas as unidadas da federação.

A paralisação desta quinta-feira, atravessando a Esplanada dos Ministérios e terminando na entrada do Ministério da Economia, teve principalmente a participação de servidores do Instituto Nacional de Seguro Social e do Ministério do Trabalho e Previdência, que já deflagraram greve, além de professores de institutos federais de ensino, representados pelo Andes.

Durante o ato, as categorias em greve protocolaram ofício pedindo audiência com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Os servidores do Ministério do Trabalho e Previdência também requeriram audiência com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Além disso, foram entregues documentos ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luiz Fux, e aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, solicitando a intermediação para tentar abrir mesa de negociação com o governo federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos