Em Belford Roxo, senhas acabam antes de posto iniciar vacinação contra a Covid-19

Cíntia Cruz
·2 minuto de leitura

RIO - A vacinação contra a Covid-19 para idosos com mais de 80 anos em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, deveria ocorrer entre 8h e 17h, mas quem chegou no Posto de Saúde Neuza Brizola, no Centro, depois das 8h não conseguiu ser imunizado. Nesta quinta-feira, antes de o posto abrir, já havia uma enorme fila de pessoas aguardando por uma dose. Mas só os cem primeiros idosos conseguiram ser vacinados.

A comerciária Alzinea Lopes dos Santos, de 59 anos, chegou às 8h para garantir uma dose para sua mãe, Maria Lopes dos Santos, de 84. Foi orientada a voltar no dia seguinte.

— Minha mãe tem trombose. Não posso deixá-la em pé numa fila grande dessa. Vim na frente para guardar a vez, mas, quando cheguei, não consegui nem informação. Não adianta eu vir amanhã ou depois. Bai ser esse tumulto todos os dias. Quero minha mãe vacinada hoje — lamentou Alzineia.

A aposentada Cátia Maria de Castro Pinto, de 61 anos, também não conseguiu vacinar sua mãe, Norma Fernandes Abrantes de Castro, de 87 anos. Ela chegou às 9h no posto e contou que um funcionário estava pedindo que os idosos madrugassem:

— Eles só dão cem números. O rapaz disse que tem que vir às 4h30 para conseguir um número. Moro longe, no bairro Sargento Roncalli, vim de ônibus com ela, peguei trânsito. É um absurdo distribuir só cem números com tantos idosos em Belford Roxo. Não tenho com quem deixar minha mãe. Amanhã, vou ter que madrugar com ela aqui.

A professora Rosa Maria Sousa, de 55, percorreu duas unidades em Belford Roxo. Além do posto Neuza Brizola, tentou uma dose para sua mãe, a pensionista Maria Osamira Sousa, de 81, na Policlínica de Heliópolis. Não havia mais senhas.

— Colocaram que a vacinação seria das 8h às 17h, mas não avisaram que iriam distribuir senha. Era pra ser avisado. O jeito vai ser voltar mais cedo amanhã.

Procurada, a Prefeitura de Belford Roxo ainda não respondeu.