Em 'bolsa de valores paralela', Bolsonaro será novo presidente do país

(Henrique Barreto/Futura Press)

Acostumados a acompanhar as ações e garantir a menor perda possível, profissionais do mercado financeiros possuem uma espécie de “bolsa paralela” onde as ações são os candidatos à presidência. E para eles já há um vencedor para as eleições: Bolsonaro.

As apostas, feitas de maneira “informal”, são feitas em grupos do WhatsApp controlados pelos próprios profissionais. De acordo com a revista Exame, cada corretora tem uma pessoa responsável por arrecadar o valor das apostas.

A reportagem revela que existe mais de uma bolsa paralela, mas as cotações são quase iguais. Bolsonaro, o candidato mais caro, está cotado em R$ 0,32, em média. Se ele vencer, os apostadores faturam R$ 1.

Valorização

Fernando Haddad, o atual candidato à vice-presidência pelo PT, tem se valorizado depois da divulgação das pesquisas eleitorais mais recentes, e está cotado em R$ 0,23. Os resultados também contribuíram para uma desvalorização nas ações de Geraldo Alckmin. Antes cotado a R$0 0,28, ele está em R$ 0,22 atualmente. Marina Silva se mantém estável, “cotada” a R$ 0,10.

Em baixa

Na bolsa paralela, Lula e Ciro Gomes são os candidatos menos cotados para assumir a presidência. Os dois estão cotados em cerca de R$ 0,3, cada.