Em Buenos Aires, Lula diz esperar que extrema-direita não vença eleições na Argentina

Lula e Fernández em Buenos Aires

Por Lisandra Paraguassu

BUENOS AIRES (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que espera que a extrema-direita não vença a eleição presidencial na Argentina, ao ser questionado sobre sua visão política do país vizinho, que realizará o pleito este ano.

Dizendo que não gosta de dar palpite sobre a situação política dos outros países, Lula disse inicialmente que ficou muito contente quando ocorreu a eleição do atual presidente, o peronista Alberto Fernández.

"A única coisa que espero é que a Argentina não permita que a extrema-direita ganhe as eleições aqui", disse Lula na sequência, durante entrevista coletiva em conjunto com Fernández, em Buenos Aires, onde se encontra em visita oficial.

"A extrema-direita não deu certo em nenhum país que governou", acrescentou. "Eu espero que o povo argentino, na sua inteligência, não permita que aconteça uma desastre político e eleitoral aqui na Argentina."

Na última eleição presidencial argentina, o então presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, apoiou abertamente o então presidente Mauricio Macri, que tentava a reeleição, e criticou seguidamente a chapa encabeçada por Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice, dizendo que a vitória da esquerda levaria a Argentina para a mesma situação da Venezuela, que vive uma crise política e econômica há anos.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu; Texto de Alexandre Caverni; Edição de Flávia Marreiro)